PT divulga resolução sobre o segundo turno das eleições municipais

Compartilhe agora

A Comissão Executiva Nacional do PT divulgou nesta terça-feira (17) uma resolução sobre a atuação do partido no segundo turno das eleições municipais.

No documento, a direção nacional do PT orienta a militância e as direções regionais e municipais a:

“1) Trabalhar pela vitória nas 17 cidades em que estamos disputando com candidaturas a prefeito(a) e vice, além de fortalecer a disputa nas eleições adiadas em Macapá;

2) Apoiar com firmeza os candidatos do campo democrático e popular nas cidades em que estes partidos estão na disputa;

3) Derrotar as candidaturas de Bolsonaro e seus aliados neoliberais

4) Caberá à direção nacional, ouvidas as direções locais, a deliberação de apoio a candidatos(as) que disputam o segundo turno em partidos que estejam fora do arco de alianças definido na tática eleitoral aprovada pela CEN em 7 de fevereiro”.

Leia a íntegra da resolução:

O PT disputou o primeiro turno das eleições municipais fazendo firme oposição a Bolsonaro, resgatando o legado dos nossos governos e levando a mensagem da esperança na reconstrução do país, dos direitos do povo, em defesa da vida e da democracia.

Além de lançar candidaturas próprias, especialmente nas cidades com propaganda eleitoral de rádio e TV, participamos de coligações com partidos de oposição em nada menos do que 915 municípios.

Como resultado, a votação em candidatos e candidatas do PT nas 26 capitais e 70 cidades com mais de 200 mil eleitores aumentou em 20% em relação a 2016 e levamos 15 candidaturas ao segundo turno e dois candidatos a vice.

Neste segundo turno, vamos consolidar a vitória nas cidades em que fomos ao segundo turno, fortalecer o campo de oposição democrático e popular e ampliar a derrota de Bolsonaro.

Neste sentido, a Comissão Executiva Nacional do PT orienta a militância e as direções regionais e municipais a: “1) Trabalhar pela vitória nas 17 cidades em que estamos disputando com
candidaturas a prefeito(a) e vice, além de fortalecer a disputa nas eleições adiadas em Macapá;

2) Apoiar com firmeza os candidatos do campo democrático e popular nas cidades em que estes partidos estão na disputa;

3) Derrotar as candidaturas de Bolsonaro e seus aliados neoliberais;

4) Caberá à direção nacional, ouvidas as direções locais, a deliberação de apoio a candidatos(as) que disputam o segundo turno em partidos que estejam fora do arco de alianças definido na tática eleitoral aprovada pela CEN em 7 de fevereiro.

Brasil, 17 de novembro de 2020

Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores

Bruno Covas pede desculpas a Guilherme Boulos por baixaria de aliado

Paraná elege prefeito gay assumido, bolsonarista e ligado à igreja

Globo adia divulgação da bomba na economia para depois do segundo turno