Em São Paulo, tinha um vírus no caminho do segundo turno

Compartilhe agora

A maior cidade do país voltará às urnas neste domingo (29) para o segundo turno com um vírus no caminho, o coronavírus, cuja doença já matou mais de 170 mil brasileiros.

São Paulo, com quase 9 milhões de eleitores, figura na triste posição de segunda cidade com mais casos de covid no mundo. Ela só perde para a Cidade do México.

Os eleitores paulistanos retornarão às urnas hoje para escolher entre Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL) em meio ao aumento de internações e perigo de uma segunda onda.

O candidato do PSOL, por exemplo, testou positivo para a covid-19 e não pode participar do debate final promovido pela TV Globo. A emissora se recusou a realizar o confronto virtualmente, como sugeriram Covas e Boulos.

Na reta final da disputa, além do vírus, usando para criticar a gestão de Covas, Boulos também bateu duro no vice do tucano, o vereador Ricardo Nunes (MDB), o parlamentar é acusado de violência contra a mulher e de participar da máfia das merendas escolares.

Mas o vírus é o principal personagem no segundo turno de São Paulo. Ele pode desmotivar os eleitores mais idosos a irem votar. De acordo com os institutos de pesquisas, os mais velhos preferem Covas, ou seja, a abstenção de setor ajuda Boulos.

Opinião do Blog do Esmael: Defender o povo contra o atraso e o bolsonarismo em São Paulo

38 milhões de eleitores retornam às urnas em 57 municípios brasileiros; siga

Boulos prevê virada em São Paulo