Eleição de Curitiba também encolhe Alvaro Dias, Flavio Arns e Oriovisto Guimarães

Compartilhe agora

Os três “roqueiros” do Podemos –os senadores paranaenses Alvaro Dias, Flavio Arns e Oriovisto Guimarães– também encolheram com o resultado das urnas em Curitiba.

A candidata do Podemos à Prefeitura de Curitiba, Carol Arns, teve apenas 22.360 votos (2,67%).

Não foi por falta de dinheiro.

A direção nacional do Podemos destinou R$ 1,6 milhão do Fundo Partidário para a campanha da sósia da deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR). Cada voto custou, em média, R$ 71,55.

O jornal O Diário, de Maringá (PR), chamou os três senadores do Paraná de “pé frio” porque eles também se empenharam pela eleição de Bovo (Podemos) na Cidade Canção. O candidato teve 3645 votos (2,01%).

Bovo também obteve ajuda de R$ 487.603,20 do Fundo Partidário, ou seja, cada voto custou R$ 133.77.

A fama de “pé frio” na eleição do Paraná não se restringiu a Dias, Arns e Oriovisto. O ex-ministro Sérgio Moro, que pode ingressar no Podemos, também não conseguiu eleger seu candidato a vereador em Curitiba.

Os quatro políticos do Paraná –Dias, Arns, Oriovisto e Moro– são conhecidos em Curitiba como integrantes da banda “Pink Floyd”, que foi fundada pelo cantor Mick Jagger.

Assista ao vídeo com os senadores pedindo voto para Bovo, em Maringá

Moro não elege vereador em Curitiba

Candidato de Moro derrotado, Fábio Aguayo, é o entrevistado da tvEsmael nesta quinta-feira

Sósia de Gleisi Hoffmann vai disputar Prefeitura de Curitiba pelo PODEMOS