Decreto da Prefeitura “fecha” Curitiba por causa de aumento da COVID

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), decretou a bandeira cor laranja e determinou o fechamento de setores comerciais, cancelamento de eventos e aglomerações em virtude do aumento de casos da COVID na capital paranaense.

O decreto municipal suspendeu o funcionamento dos seguintes serviços e atividades em Curitiba:

I – estabelecimentos destinados ao entretenimento, a eventos sociais e atividades correlatas em espaços fechados, tais como casas de festas, de eventos ou recepções,
incluídas aquelas com serviços de buffet, bem como parques infantis e temáticos;

II – estabelecimentos destinados a eventos técnicos, mostras comerciais, congressos, convenções, entre outros eventos de interesse profissional, técnico e/ou científico;

III – bares, casas noturnas e atividades correlatas.

Toque de recolher em Curitiba

O decreto municipal estipula ainda o toque de recolher entre 23h e 5h do dia seguinte para reduzir a contaminação e a propagação do novo Coronavírus (COVID-19), exceto para deslocamentos em razão do trabalho ou casos de urgência.

Aumento de casos da COVID em Curitiba

No comparativo mês a mês, a média de novos casos de COVID-19 por dia na capital paranaense teve aumento de 178% em novembro em relação a outubro, passando de 284,39 para 790,58. Só quarta-feira (25), por exemplo, foram 1.604 novos diagnósticos, recorde em um único boletim desde o início da pandemia e, com isso, o número de casos ativos também teve um salto, passando de 12.139 para 12.784 de um dia para o outro (outro recorde).

O número de mortes também voltou a avançar aceleradamente em Curitiba. No comparativo mensal, esse salto foi de 24,9%, com a média diária de óbitos saltando de 6,10 em outubro para 7,62 em novembro (dados até o dia 26/11). O número do mês corrente, entretanto, ainda fica abaixo das médias de setembro (9,8 mortes/dia), agosto (14,48) e julho (12,9).

Clique aqui para ler a íntegra do decreto da Prefeitura de Curitiba.

Boulos suspeita de manipulação política de dados sobre a pandemia em São Paulo

Explode o desemprego nas vésperas do segundo turno das eleições 2020