CBF reconheceu que arbitragem prejudicou Atlético-MG contra Corinthians

1Parecer da entidade foi divulgado pelo vice-presidente do Galo, Lásaro Cândido Cunha, nas redes sociais. Assista ao lance.

Em parecer da Ouvidoria da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a entidade reconheceu que o Atlético-MG foi prejudicado pela arbitragem na vitória por 2 a 1 em cima do Corinthians, no dia 14 de novembro, na Neo Química Arena, pela 21ª rodada do Brasileirão.

Na ocasião, o clube reclama formalmente do pênalti não marcado pelo árbitro Rodrigo Dalonso Ferreira (SC) e o responsável pelo VAR, Pathrice Wallace Corrêa Maia. No lance em questão, eles  não marcaram a penalidade para o Galo no começo da partida, quando Gil puxou Vargas dentro da área.

“A decisão se caracterizou como erro claro, óbvio, que, pois, impunha ao VAR recomendar revisão,” diz o documento.

O vice-presidente do Atlético-MG, Lásaro Cândido Cunha, foi quem divulgou o parecer da CBF, por meio de suas redes sociais.

“Só esclarecer: fizemos reclamação detalhada para a CBF, especialmente em função dos erros bizarros da arbitragem e do VAR em relação ao jogo com o Corinthians. A CBF confessou os erros, particularmente do VAR que acobertou o “equívoco” do árbitro de campo…”, postou Lásaro.

De acordo com a ouvidoria da CBF, o documento que referenda a decisão da entidade cita que o ‘reclamante (Atlético) tem razão’ e que o zagueiro Gil deveria ter sido expulso no referido lance.

“Tratou-se, conclusivamente, da já famosa DOGSO (impedir com falta uma clara oportunidade de gol) e sem que houvesse disputa pela bola, impondo, assim, a punição com CV (cartão vermelho) direto, pois as infrações de mão/braço, empurrar e segurar, como foi o caso, não possibilitam que o CV caia para CA (cartão amarelo). Cartão vermelho direto, portanto, não aplicado.”

Assista ao lance