2020 teve as eleições mais censuradas da história do País

O cancelamento do debate pela TV Globo, nesta sexta-feira (27), após o candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, testar positivo para a COVID-19 foi a cereja do bolo das eleições 2020.

Nunca antes na história deste País uma eleição foi tão censurada quanto esta de 2020, como o Blog do Esmael retratou e denunciou ao logo desta curta campanha.

A Globo cancelou os embates no primeiro turno alegando perigo de infecção da COVID enquanto a emissora incentivava o retorno às aulas presenciais nas escolas, por exemplo.

A televisão dos Marinhos sempre arrumou desculpas para não realizar debates entre candidatos que promovessem a democracia brasileira. Pelo contrário, jogou contra.

O candidato do PSOL, Guilherme Boulos, após diagnosticado positivo, solicitou –com a anuência do adversário– realização do debate virtual. No entanto, a TV Globo disse não.

Recentemente, a Globo, no Programa do Bial, realizou entrevista online até com o ex-presidente americano Barack Obama. Portanto, não havia óbice tecnológico para o encontro entre os candidatos à Prefeitura de São Paulo, Covas e Boulos.

Além disso, no curso da campanha eleitoral, as empresas de aplicação de internet –Twitter, Facebook, Instagram, Google, dentre outros– usaram dessa fraqueza espiritual do TSE para também censurar. Eles impuseram algoritmos para barrar a discussão nas eleições municipais deste ano. Ganharam dinheiro em cima da fraqueza moral do TSE.

Globo cancela debate em SP, após Boulos testar positivo para COVID

Brasil 247: Covas aceita debate virtual e candidatos aguardam resposta da Globo

Boulos testa positivo para a COVID [vídeo]