Trump 14 pontos atrás de Biden 1 mês antes da eleição, diz nova pesquisa

O democrata Joe Biden disparou nas intenções de voto e começa deixar o republicano Donald Trump comendo poeira. A campanha americana ganha dramaticidade porque ela ocorrerá daqui um mês e o atual presidente, que concorre à reeleição, está hospitalizado.

A pesquisa do NBC/Wall Street Journal afirma que Biden tem 53% das intenções de voto, contra 39% de Trump. Nessa sondagem, a vantagem do candidato democrata é de 14 pontos.

De acordo com jornais dos Estados Unidos e do Reino Unido, os conselheiros de Trump lutam para encontrar uma estratégia para as semanas finais, dizendo ‘é importante que nossa campanha prossiga vigorosamente’ e recupere os pontos perdidos. A eleição será no dia 3 de novembro.

O fato de Trump desconsiderar os alertas e desprezar o uso da máscara, além de realizar aglomerações, começaram pesar nas sondagens. Os eleitores americanos consideram o presidente culpado e omisso pelo avanço da doença no País –sem falar na questão econômica, que sofreu abalos fantásticos.

Portanto, o retorno da campanha de Trump deverá ser bastante engessada e enfrentará um dilema: se sair às ruas pedindo votos, poderá perdê-los; se ficar no comitê esperando que eles apareçam, eles poderão não aparecer.

“Ele vai ter uma agenda cheia de agressividade, assim como a primeira família, Don, Eric, Ivanka. Temos vários dos nossos apoiadores, nossa coalizão, Vozes Negras para Trump, Latinos para Trump, toda a operação Maga estará implantando em todos os lugares”, diz um conselheiro de campanha de Trump.

“Não podemos nos esconder desse vírus para sempre, temos que enfrentá-lo de frente [e] assim que pudermos voltar pessoalmente, faremos isso”, acrescentou.

A pesquisa da NBC mostrando Biden ampliando sua vantagem sobre Trump foi realizada imediatamente após o tumultuoso primeiro debate presidencial da última terça-feira (29/09) em Cleveland, no qual um presidente argumentativo constantemente interrompia tanto seu rival quanto o moderador Chris Wallace.

Enquanto isso, a campanha de Biden desde a hospitalização de Trump na noite de sexta-feira (2) tem sido discreta, quando a campanha do democrata anunciou que estava suspendendo as mensagens negativas que atacavam o presidente enquanto ele convalescia.

Apesar da interrupção antecipada da atividade de campanha no domingo, a equipe de Biden disse que não tem planos de reduzir os eventos, contanto que o candidato e aqueles ao seu redor continuem com teste negativo para Covid-19.

“Joe Biden estará nesse debate”, disse o conselheiro sênior de campanha Symone Sanders sobre o segundo debate presidencial agendado para 15 de outubro em Miami. “Esperamos que o presidente Trump possa participar.”

Alguns analistas políticos acreditam que a internação de Trump no hospital será ainda mais prejudicial em sua campanha, após os danos causados ​​por um fraco desempenho no debate.

“Tive conversas com republicanos que trabalham em estados indecisos em todo o país e eles estão alarmados”, disse Steve Hayes, fundador e executivo-chefe do Dispatch, à Fox News no domingo.

“Não está afetando apenas o presidente Trump. As pessoas olham para o desempenho do debate de forma negativa, mas isso também está começando a afetar o voto dos republicanos. Se essa trajetória atual continuar até o dia 3 de novembro, estaremos falando sobre muito mais senadores republicanos em risco do que estamos falando agora.”

Biden 51% x 41% Trump, diz pesquisa Reuters/Ipsos

Pesquisa da Reuters/Ipsos divulgada neste domingo (4) aponta ampliação da vantagem do candidato democrata Joe Biden na corrida presidencial americana.

Segundo o levantamento, Biden tem 51% das intenções de voto ante 41% do atual presidente Donald Trump.

O levantamento Reuters/Iposos afirma que 4% dos eleitores estão propensos a escolher um terceiro candidato, e 4% estão indecisos.

A pesquisa foi realizada por mais de mil pessoas pela internet durante os dias 2 e 3 de outubro.

A eleição nos Estados Unidos será no dia 3 de novembro.

Maioria culpa Trump pela própria infecção

Enquanto Trump segue internado num hospital militar de Washington, a maioria dos americanos diz que ele poderia ter evitado infecção por coronavírus.

De acordo com a sondagem da Reuters/Ipsos, 65% dos americanos afirmam que o presidente dos EUA poderia ter evitado a Covid-19 se ele tivesse levado a sério o risco de infecção.

A pesquisa ainda fulmina Donald Trump ao dizer que 34% disseram que Trump tem dito a verdade sobre o coronavírus, 55% dizem que o presidente não foi honesto e 11% não têm certeza.

Nos EUA, quem fizer comício presencial perde voto

Os americanos não apoiam os atos políticos presenciais: 67% são contra comícios e 59% dizem acreditar que os debates devem ser adiados até a recuperação de Trump.

O próximo encontro entre Joe Biden, o candidato do Partido Democrata, e Trump, que concorre pelo Partido Republicano, estava marcado para o dia 15 de outubro.

Compartilhe agora