Senador que escondeu dinheiro no “cofrinho” deu emprego a Leo Índio, primo do Carluxo

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), vice-líder do governo Bolsonaro pego escondendo dinheiro entre as nádegas, empregou em seu gabinete como assessor parlamentar Leonardo Rodrigues de Jesus, o Leo Índio, primo dos filhos do presidente Bolsonaro e companheiro de casa de Carlos Bolsonaro, o Carluxo.

O assunto veio à tona depois que a Polícia Federal revelou que encontrou dinheiro na cueca do senador durante operação de busca e apreensão autorizada pelo Supremo Tribunal Federal.

De acordo com a PF, o vice-líder do presidente Jair Bolsonaro escondeu a bufunfa nas nádegas, na bunda, no cofrinho e até no ânus.

STF autorizou sete mandados e um foi cumprido contra o senador em Boa Vista, capital de Roraima. O parlamentar é investigado pela Operação Desvid-19, que apura desvios de mais de R$ 20 milhões em emendas parlamentares destinadas à Secretaria de Saúde do estado.

Agentes da PF relataram que desconfiaram do vice-líder de Bolsonaro no Senado e pediram para que ele ficasse nu e agachasse. Bingo. O senador escondia dinheiro até no cofrinho.

Sobre a contratação de Leo Índio, o senador disse que não houve interferência da família presidencial.

Conversei muito com ele, achei ele muito desenvolto. Um cara jovem, cheio de energia. Vi que ele conhece muita gente. Ter um assessor parlamentar com essa desenvoltura seria muito bom para mim”, explicou Chico Rodrigues à Revista Época. “Você tem de procurar os melhores”, acrescentou.

Cá entre nós, é muita esculhambação. O assunto “Carluxo” está subindo no Twitter, será que ele vai se pronunciar?

Com informações da Época. 

LEIA TAMBÉM
Vice-líder de Bolsonaro escondeu dinheiro no “cofrinho”, segundo a PF

Boneco do Véio da Havan assustou as crianças e é usado de espantalho na zona rural

‘Doutor Lula’, confirma juiz em Alagoas

Compartilhe agora