Senador flagrado com dinheiro na cueca pede afastamento do mandato por 90 dias

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), que foi pego pela Polícia Federal (PF) com dinheiro na cueca, pediu nesta terça-feira (20) afastamento do mandato por 90 dias.

Chico Rodrigues, então vice-líder do governo no Senado, foi alvo na semana passada da Operação Desvid-19, que investiga desvios de mais de R$ 20 milhões em emendas parlamentares destinadas à Secretaria de Saúde de Roraima para o combate ao coronavírus. Ao cumprir mandado de busca e apreensão contra o senador, a PF encontrou R$ 30 mil que estava escondido na cueca dele. Segundo os agentes, parte desse valor foi encontrado “próximo às nádegas”.

LEIA TAMBÉM
Candidatos apelam ao humor para driblar censura nas eleições 2020

Greca vai assistir da varanda ‘debate-protesto’ de candidatos da oposição nesta terça

ONG Repórteres Sem Fronteiras denuncia censura indireta de Bolsonaro à imprensa

Depois que o caso veio à tona, Chico Rodrigues foi exonerado do cargo de vice-líder do governo Bolsonaro no Senado e pediu para sair da comissão externa do Congresso Nacional que fiscaliza os gastos no combate à covid-19.

O senador também se desligou do Conselho de Ética do Senado, onde é alvo de uma representação protocolada pelos partidos Rede e Cidadania, que pedem a cassação do seu mandato.

Chico Rodrigues já estava afastado do mandato por 90 dias por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso. A decisão de Barroso seria apreciada amanhã (21) pelo plenário da Corte, mas o julgamento ficou inviabilizado devido ao pedido feito pelo senador.

Como o afastamento de Chico Rodrigues será menor que 120 dias, não há previsão regimental de que o suplente assuma a vaga.

Com informações da Agência Brasil

Compartilhe agora