Santos sofre pressão dos patrocinadores para desistir da contratação de Robinho

A pressão aumentou mais ainda depois que o site “ge” publicou reportagem com detalhes da sentença de Robinho pelo estupro coletivo de uma mulher, nesta sexta-feira (16).

Robinho, jogador recém contratado do Santos, revelou participação no ato que levou uma mulher albanesa a acusar o atleta e amigos por estupro coletivo, em Milão, na Itália.

Detalhes do processo foram revelados nesta sexta-feira (16), pelo site “ge”.

Com isso, a empresa Kicaldo, uma das patrocinadoras do Santos, declarou que rescindirá o contrato com o clube se o atacante permanecer.

Veja o que a empresa declarou ao site “UOL Eporte”:

“Depois da reportagem veiculada pelo Globoesporte.com, a nossa posição é que o clube rescinda com o jogador Robinho. Estamos aguardando a posição do clube. Se eles rescindirem, a gente mantém a parceria. Se não, a gente não vai mais patrocinar a equipe”.

A empresa Kodilar também declarou que aguardará o posicionamento do Santos sobre o caso.

Leia o que a empresa disse ao site “ge”.

A Kodilar aguarda o posicionamento do Santos para informar aos patrocinadores o que será feito. Pedimos para que o caso seja solucionado o mais rápido possível, porque nossa empresa tem imagem positiva em tudo o que faz. Não queremos ser penalizados por isso.

Até o momento, a única patrocinadora que rompeu o contrato de patrocínio foi a Orthopride, que repudia a contratação de Robinho em defesa das mulheres.

Outras marcas que patrocinam o clube não se manifestaram ainda.

O atacante de 36 anos, foi condenado a 9 anos de prisão em primeira instância na nona seção da corte de Milão, na Itália, pelo estupro coletivo de uma mulher albanesa.

Robinho e seus advogados recorrem da decisão em segunda instância e, mesmo que a condenação seja mantida, poderá recorrer até a terceira para reverter a sentença.

Sabendo disso, o jogador está livre para atuar dentro dos gramados, até que seja dado uma sentença definitiva.

Compartilhe agora