PSOL pede que TCU e MP investiguem uso de doação de R$ 7,5 milhões em programa de Michelle Bolsonaro

Compartilhe agora

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados protocolou nesta quinta-feira (1º) dois ofícios que pedem a abertura de investigação, tanto no Tribunal de Contas da União (TCU) como no Ministério Público Federal (MPF), das graves acusações de desvio de R$ 7,5 milhões de uma doação feita ao Ministério da Saúde, pela iniciativa privada, para a compra de testes rápidos de Covid-19.

Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, o montante foi repassado para o programa Pátria Voluntária, coordenado pela primeira-dama Michelle Bolsonaro, pela Marfrig, um dos maiores frigoríficos de carne bovina do país. O montante, que deveria chegar ao Ministério da Saúde para a compra de 100 mil testes rápidos de Covid-19, acabou parando no programa coordenado por Michelle Bolsonaro, Pátria Voluntária, que repassa valores a instituições missionárias evangélicas aliadas da ministra Damares Alves, para a compra e distribuição de cestas básicas.

Os R$ 7,5 milhões doados pela Marfrig representam quase 70% da arrecadação desse programa até agora —R$ 10,9 milhões. Para os deputados do PSOL, há fortes indícios de improbidade administrativa, que precisam ser investigados.

LEIA TAMBÉM
Privatização: Supremo ‘libera geral’ a entrega de 8 refinarias da Petrobras

Bolsonaro confirma Kassio Nunes Marques no STF; assista

Lula dispara contra Bolsonaro: ‘precisa criar vergonha e ler uns livros’; assista ao vídeo

“Solicitamos instauração de procedimento de auditoria/investigação com vistas a apurar todas as circunstâncias dos fatos aqui noticiados, inclusive com a adoção das medidas cautelares cabíveis para a anulação do repasse de verbas para o programa Pátria Voluntária, coordenado pela primeira-dama Michelle Bolsonaro, e a consequente apuração e investigação das responsabilidades e a punição dos envolvidos”, pedem os parlamentares psolistas nos ofícios.

Com informações do PSOL