Lula vira ‘arma secreta’ do PT na eleição de vereador em 2020; assista ao vídeo

Enquanto o k-suco ferver nas redes sociais sobre o fim da Lava Jato, o espasmo do ex-juiz Sérgio Moro e a mudança nos julgamentos de ações penais no STF, o PT resolveu usar o ex-presidente Lula como ‘arma secreta’ nas eleições municipais de 2020.

“A cidade que você deseja pode estar nas suas mãos. Vote numa vereadora ou num vereador do PT, vote 13”, pede Lula.

O ex-presidente será o principal cabo eleitoral de prefeitos e vereadores nas 4 mil cidades que o PT vai disputar as eleições.

Os petista acreditam que o capital político de Lula ainda é inigualável dentre e fora do partido.

Confira o vídeo que será veiculado nas emissoras de TV em todo o país, durante o horário eleitoral gratuito:

Eleição em Belém vira ‘case’ de sucesso da frente de esquerda

Moro adiciona gasolina na polêmica do fim da Lava Jato

Moro rompe silêncio após declaração polêmica de Bolsonaro sobre fim da Lava Jato

Piadista, Bolsonaro diz que acabou com a Lava Jato porque não há corrupção no governo

Gleisi Hoffmann vê “tapetão” no Supremo Tribunal Federal

Lula não está morto, alerta Globo, após pesquisa do Ibope

O ex-presidente Lula está vivinho da Silva e ainda pode fazer a diferença nas eleições municipais de 2020. A avaliação foi publicada pelo Globo na edição desta terça-feira (6).

O jornalão dos Marinho ouviu o professor Ricardo Ismael, do Departamento de Ciências Sociais da PUC-Rio, o fator “Lula” pode fazer diferença. Por isso, o potencial de crescimento do PT hoje é maior do que o de algumas legendas de direita, como PSL e PRTB.

Segundo o professor da PUC-Rio, o PT luta para recuperar a imagem do desgaste causado pelo intenso bombardeio da operação Lava-Jato.

“O partido ainda administra um prejuízo. Vai ter que brigar mais para se destacar”, diz Ismael, no entanto, ele destaca o fator “Lula” na disputa em curso.

“A foto do momento aponta que o PT perdeu espaço, mas pode crescer, um cabo eleitoral como Lula não é desprezível”, alerta o professor da PUC-Rio. “Hoje o PSL não tem nenhum cabo para puxar voto”, comparou.

A matéria do Globo foi publicada à luz das últimas pesquisas do Ibope.

Compartilhe agora