Kassio Nunes Marques é mais um suspeito de fraudar o próprio Currículo

Bolsonaro “não tem sorte” no quesito educação mesmo. Desta vez foi o indicado ao Supremo Tribunal Federal que foi pego com fraude no próprio Currículo.

A Universidade de La Coruña, na Espanha, não confirma que Kassio tenha cursado pós-graduação em “Contratación Pública” que consta em seu histórico acadêmico. Segundo a instituição, ele somente participou de um curso de quatro dias.

O doutorado do desembargador feito na Universidade de Salamanca, também na Espanha, consta no portal da Universidade, mas a tese foi defendida somente em 25 de setembro. Ou seja, menos de duas semanas.

Já um pós doutorado que está no Currículo de Kassio, em Direitos Humanos na mesma Universidade, não consta no banco de dados público da instituição.

A função de ministro do Supremo Tribunal Federal exige conhecimentos em direito, mas não a graduação, ou qualquer outro curso específico. Mas Kassio já parte com essa mancha da suspeita de ter inflado seu Currículo. Mais um para a lista dos preferidos de Bolsonaro.

Carlos ALberto Decotelli mal assumiu como ministro da Educação por fraude no Currículo. Damares Alves também usou o expediente de fraudar o próprio histórico. Abraham Weintraub e Ricardo Veles Rodrigues, ambos ex-ministros da educação, também foram pegos na mentira. Parece que a prática é rotina.

Como todos sabem, a internet não perdoa e Kassio já virou meme com o selo Decotelli de veracidade.

Com informações do Estadão.

Olavo de Carvalho e Roberto Requião batem boca nas redes sociais

Flávio Dino denuncia mais um estelionato eleitoral de Jair Bolsonaro

Professores definem greve dia 19 contra volta às aulas presenciais no Paraná

Compartilhe agora