Gleisi Hoffmann: ‘ódio, rancor e ciúmes na decisão que tirou título de Lula’

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), afirmou nesta terça-feira (13) que a decisão de um juiz de Alagoas tirando o título de Doutor Honoris Causa do ex-presidente Lula foi motivada por rancor, ódio e ciúmes.

“Rancor, ódio, sobretudo ciúmes levam a decisões como esta”, criticou a dirigente petista.

Nesta segunda-feira, um juiz decidiu atender ao pedido de uma candidata a vereadora pelo PSDB e anulou o título de doutor honoris causa da UNEAL (Universidade Estadual de Alagoas), em 23 de agosto de 2017.

“Que uma candidata da direita peça, ainda vá lá, mas que um juiz dê algo assim, além de agredir a autonomia universitária é tomar partido político”, disse Gleisi.

A presidenta nacional do PT não descarta a possiblidade de pedir o enquadramento do magistrado na lei de abuso de autoridade, que prevê:

§ 1º  As condutas descritas nesta Lei constituem crime de abuso de autoridade quando praticadas pelo agente com a finalidade específica de prejudicar outrem ou beneficiar a si mesmo ou a terceiro, ou, ainda, por mero capricho ou satisfação pessoal.

Art. 1º, §1º, da Lei 13.869/2019 (Lei de Abuso de Autoridade).

A presidenta nacional do PT afirma que “deve ter muita dor de cotovelo [do juiz] por não ser homenageado” por uma universidade.

O ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, também se manifestou acerca da cassação do título concedido a Lula:

“Agora, Lula só tem 32 títulos de doutor honoris causa.”

Fernando Haddad, ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo.
Compartilhe agora