Evo Morales concorre ao Prêmio Nobel da Paz nas vésperas das eleições na Bolívia

O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, é um dos mais de 300 que concorrem ao Prêmio Nobel da Paz de 2020. Um resultado favorável ao ex-líder indígena poderá ampliar a vantagem de seu candidato na eleição presidencial do próximo dia 18 de outubro, Lucho Arce, do partido Movimento ao Socialismo (MAS).

Morales foi indicado este ano ao prêmio pelo argentino ganhador do Nobel da Paz de 1980 Adolfo Pérez Esquivel. No ano passado, o ativista de direitos humanos havia apontado o ex-presidente Lula, que era mantido preso político no cárcere da Polícia Federal do Paraná após uma condenação sem provas e sem o trânsito em julgado.

Nesta quarta-feira (7), durante uma entrevista ao jornal El País TV, o ex-presidente Lula vestiu um casaco que ganhou de Evo Morales –sinalizando ao mundo que está apoiando a indicação do boliviano para o Prêmio Nobel da Paz.

Evo Morales está exilado na Argentina desde o golpe de Estado ocorrido na Bolívia, no ano passado.

Jornal Britânico relata planos de atentados terroristas da direita na Bolívia

Sobre os concorrentes ao Prêmio Nobel da Paz 2020

Existem 318 candidatos ao Prêmio Nobel da Paz para 2020, dos quais 211 são indivíduos e 107 são organizações.

As indicadas incluem a adolescente ativista climática Greta Thunberg, o movimento pró-democracia em Hong Kong e a encarcerada ativista saudita pelos direitos das mulheres Loujain al-Hathloul.

O cacique brasileiro kayapó Raoni Metuktire, o Cacique Raoni, também concorre ao Prêmio Nobel da Paz em 2020.

O Prêmio Nobel será anunciado em Olso, Noruega, em cerimônia prevista para acontecer às 6 horas. O Blog do Esmael vai transmitir ao vivo o ganhador.

Atualização: Nobel da Paz 2020 vai para programa de combate à fome da ONU

Prêmio Nobel da Paz foi para… a luta contra a fome no mundo

Veja como foi a cerimônia do Nobel da Paz

Compartilhe agora