Covid-19: Nova York planeja lockdown a partir de quarta-feira

Compartilhe agora

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse neste domingo que prepara-se para fechar negócios não-essenciais e também escolas em nove bairros identificados como focos do coronavírus a partir da próxima quarta-feira, em uma tentativa de conter a disseminação da Covid-19 no que já foi o epicentro da pandemia nos Estados Unidos.

Buscando a aprovação do governo do Estado para o lockdown, de Blasio disse que a medida afetaria nove regiões onde as taxas de testes positivos para coronavírus aumentaram, possivelmente resultado de falha no distanciamento social e no uso de máscaras faciais. Ele disse que bairros em outras 11 áreas da cidade estão em uma “lista de observação” por causa de suas crescentes taxas.

LEIA TAMBÉM
Brasil ultrapassa 146 mil mortes e tem quase 5 milhões de casos de Covid-19

Trump 14 pontos atrás de Biden 1 mês antes da eleição, mostra nova pesquisa

Papa Francisco quase pede socialismo ao criticar a falha do capitalismo na pandemia

Nova York é um dos 18 Estados onde os casos não aumentaram nas últimas duas semanas, de acordo com uma análise da Reuters. Nove estados relataram aumentos recordes em casos de Covid-19 nos últimos sete dias, principalmente no Meio-Oeste e no Oeste, onde o clima leva a atividades em ambientes fechados.

Se o governador de Nova York, Andrew Cuomo, aprovar a paralisação, áreas do Brooklyn e do Queens seriam obrigadas a fechar todos os estabelecimentos não essenciais, restaurantes e escolas públicas e privadas. Cerca de 100 escolas públicas e 200 escolas privadas seriam fechadas por algo entre duas a quatro semanas, caso aprovação do estado seja obtida, disse o prefeito.

Da Agência Reuters