Chico Rodrigues amplia afastamento para 121 dias para filho assumir o mandato

Compartilhe agora

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), que foi pego pela Polícia Federal (PF) com dinheiro na cueca, alterou o pedido de licença de 90 para 121 dias.

Dessa forma, o seu filho Pedro Arthur Ferreira Rodrigues (DEM-RR) que é o seu primeiro suplente, pode assumir o mandato.

Chico Rodrigues, então vice-líder do governo no Senado, foi alvo na semana passada da Operação Desvid-19, que investiga desvios de mais de R$ 20 milhões em emendas parlamentares destinadas à Secretaria de Saúde de Roraima para o combate ao coronavírus.

Ao cumprir mandado de busca e apreensão contra o senador, a PF encontrou R$ 30 mil que estava escondido na cueca dele. Segundo os agentes, parte desse valor foi encontrado “próximo às nádegas”.

Depois que o caso veio à tona, Chico Rodrigues foi exonerado do cargo de vice-líder do governo Bolsonaro no Senado e pediu para sair da comissão externa do Congresso Nacional que fiscaliza os gastos no combate à covid-19.

O senador também se desligou do Conselho de Ética do Senado, onde é alvo de uma representação protocolada pelos partidos Rede e Cidadania, que pedem a cassação do seu mandato.

O ministro Luís Roberto Barroso do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o afastamento do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) do cargo por 90 dias.

A decisão de Barroso seria apreciada amanhã (21) pelo plenário da Corte, mas o julgamento ficou inviabilizado devido ao pedido feito pelo senador. Por esse motivo, o ministro suspendeu a decisão.

Com informações do Sputnik.

Randolfe pedirá cassação de senador que escondeu dinheiro nas nádegas

Senador do “cofrinho” pede pra sair da vice-liderança de Bolsonaro

Senador que escondeu dinheiro no “cofrinho” deu emprego a Leo Índio, primo do Carluxo