Caso Marielle: MP quer aplicação de multa ao Google por sonegação de dados

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) pede à Justiça, uma multa de até cinco milhões de reais ao Google, por que a corporação multinacional se recusa a compartilhar dados virtuais solicitados na investigação da morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

No pedido, o Ministério Público disse à Quarta Vara Criminal que o Google descumpre uma decisão judicial, que determinou o compartilhamento de dados. A multa diária é de 100 mil reais até o limite de cinco milhões, a contar a partir de 27 de agosto de 2018, data da primeira ordem judicial para apresentação dos dados.

As promotoras responsáveis pelo caso dizem que o acesso aos dados tem papel vital para a elucidação do crime e para a identificação dos mandantes da execução.

LEIA TAMBÉM:

Globo concorda com PT: “Bolsonaro sabia que não era só uma ‘gripezinha’”

Em desrespeito a 150 mil mortos, Bolsonaro aglomera e come banana na praia do Guarujá (SP)

Campanha de Francischini quer censurar candidata do PT ‘líder dos ocupas’

Marielle Franco e Anderson Gomes foram mortos, em março de 2018. O PM reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Hélcio Queiroz, que são acusados de serem os executadores, estão presos preventivamente.

O caso que já completou mais de dois anos ainda é objeto de diversas polêmicas sobre as linhas de investigações.

Compartilhe agora