Candidato do PT Paulo Opuszka vira “Paulo Fusca” na periferia de Curitiba

De origem polonesa, o candidato do PT à Prefeitura de Curitiba, Paulo Opuszka, começou a ser chamado de “Paulo Fusca” na periferia da capital paranaense.

O eleitorado curitibano tem tido dificuldade para pronunciar o sobrenome “Opuszka” então resolveu simplificá-lo para “Fusca”.

O mesmo fenômeno ocorreu em 2018 com o então desconhecido “Andrade”, Fernando Haddad, que substituiu o ex-presidente Lula. Para os nordestinos, Haddad era o “Andrade” –e deu super certo.

“Paulo Fusca” luta contra o tempo, a campanha negativa acumulada da lava jato, a falta de debates na TV, a dificuldade da pronúncia do nome e o desconhecimento geral do eleitor com a disputa de 15 de novembro.

Segundo pesquisa do Ibope, divulgada na noite desta terça (6), “Paulo Fusca” tem 1% das intenções de voto.

A margem de erro da sondagem contratada pela RPC/Globo é elástica: 4% para mais ou para menos.

Dilma participa hoje de comício virtual do PT em Curitiba

Gleisi desafia críticos do PT: “Na hora de contar votos a gente vê quem se isolou do povo”

Greca venceria no 1º turno em Curitiba, se eleição fosse hoje, diz Ibope

Sobrinho de Requião questiona pesquisa do Ibope, em Curitiba

Greca venceria no 1º turno em Curitiba, se eleição fosse hoje, diz Ibope

Pesquisa do Ibope divulgada na noite desta terça-feira (6) garante que, se a eleição fosse hoje, o prefeito Rafael Greca (DEM) seria reeleito já no primeiro turno.

Segundo o levantamento encomendado pela RPC/Globo, Greca tem 47% e o adversário “mais próximo” é Fernando Francischini (PSL), com 6%.

Todos os adversários do prefeito, juntos, têm 28% das intenções de voto.

O candidato do PDT, Goura, em terceiro, tem 5%. Cristiane Yared (PL) e João Arruda (MDB) têm 3%.

Professora Samara (PSTU), tem 2%.
Evidentemente que a propaganda eleitoral ainda vai começar na próxima sexta-feira (9), quando os eleitores tomam conhecimento da disputa e dos candidatos registrados.

Pelotão da frente

  • Rafael Greca (DEM): 47%
  • Fernando Francischini (PSL): 6%
  • Goura (PDT): 5%
  • Chistiane Yared (PL): 3%
  • João Arruda (MDB): 3%
  • Professora Samara (PSTU): 2%

Pelotão do 1%

  • Camila Lanes (PC do B): 1%
  • Carol Arns (Podemos): 1%
  • Diogo Furtado (PCO): 1%
  • Dr. João Guilherme (Novo): 1%
  • Marisa Lobo (Avante): 1%
  • Paulo Opuszka (PT): 1%
  • Professor Mocellin (PV): 1%
  • Zé Boni (PTC): 1%

Pelotão do zero

  • Eloy Casagrande (Rede): 0%
  • Letícia Lanz (PSOL): 0%

A pesquisa do Ibope entrevistou 602 eleitores da cidade de Curitiba entre os dias 4 e 5 de outubro. A margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos. A sondagem está registrada no TSE sob o nº PR-08260/2020.

Rejeição

O Ibope também quis saber em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum

  • Fernando Francischini (PSL): 21%
  • Rafael Greca (DEM): 20%
  • João Arruda (MDB): 11%
  • Zé Boni (PTC): 10%
  • Chistiane Yared (PL): 9%
  • Goura (PDT): 8%
  • Marisa Lobo (Avante): 8%
  • Carol Arns (Podemos): 6%
  • Diogo Furtado (PCO): 6%
  • Eloy Casagrande (Rede): 5%
  • Paulo Opuszka (PT): 5%
  • Camila Lanes (PC do B): 4%
  • Dr. João Guilherme (Novo): 4%
  • Letícia Lanz (PSOL): 4%
  • Professor Mocellin (PV): 4%
  • Professora Samara (PSTU): 4%
  • Poderia votar em todos: 7%
  • Não sabem ou preferem não opinar: 27%

Os entrevistados podiam apontar mais de uma resposta, por isso a soma dos fatores apontados é de mais de 100%.

Compartilhe agora