Bolsonaro veta a vacina mas libera dez agrotóxicos da China

O presidente Bolsonaro bateu pé e fez birra para vetar a compra da vacina Coronavac de origem chinesa que seria produzida em parceria com o Instituto Butantan de São Paulo.

Por outro lado, Bolsonaro liberou a utilização de mais 12 agrotóxicos no país por meio do Ato nº 59, publicado na sexta-feira (23) no Diário Oficial da União. Dez desses venenos são produzidos por empresas sediadas na China.

Sobre a vacina, o presidente declarou: “A da China nós não compraremos, é decisão minha. Eu não acredito que ela transmita segurança suficiente para a população. Esse é o pensamento nosso. Tenho certeza que outras vacinas que estão em estudo poderão ser comprovadas cientificamente, não sei quando, pode durar anos”.

As informações são do blog do professor associado da Universidade Estadual do Norte Fluminense em Campos dos Goytacazes (RJ), bacharel e mestre em Geografia pela UFRJ, Marcos Pedlowski.

Ele publicou informações sobre os níveis alarmantes de contaminação por agrotóxicos de alguns dos principais itens da dieta dos brasileiros. Pelo jeito, a ministra Tereza Cristina e o seu colega (na falta de melhor palavra) o ministro (ou seria anti-ministro?) Ricardo Salles acham que todo o veneno que estamos ingerindo via alimentos é pouco”, afirmou Pedlowski.

As informações são do Blog de Marcos Pedlowski.

Vacina russa Sputnik V será produzida pela farmacêutica brasileira União Química

Rodrigo Maia esculacha ministro da devastação do Meio Ambiente, Ricardo Salles

Após ‘piti’ de Bolsonaro, Anvisa autoriza Butantan a importar 6 milhões de doses da vacina chinesa

Compartilhe agora