Bolsonaro revoga decreto sobre privatização do SUS

Compartilhe agora

O presidente Jair Bolsonaro revogou o decreto que iniciava a privatização do Sistema Único de Saúde (SUS).

O presidente não aguentou a pressão durante esta quarta-feira (28) e disse que o decreto “já revogado” visava apenas o término de obras.

Bolsonaro jura que em momento algum sinalizou para privatizar o SUS.

O presidente Bolsonaro escusou ainda afirmando que faltam recursos para concluir obras, comprar equipamentos e contratar pessoal.

O Blog do Esmael dá uma dica para Bolsonaro: deixe de transferir o Orçamento para os bancos e especuladores, a título de pagamento de juros e dívida interna, que ainda sobrará dinheiro para o pagamento do auxílio emergencial universalizado.

A seguir, a íntegra da nota de Bolsonaro publicada no Facebook:

– O SUS e sua falsa privatização.
– Temos atualmente mais de 4.000 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 168 Unidades de Pronto Atendimento (UPA) inacabadas.
– Faltam recursos financeiros para conclusão das obras, aquisição de equipamentos e contratação de pessoal.
– O espírito do Decreto 10.530, já revogado, visava o término dessas obras, bem como permitir aos usuários buscar a rede privada com despesas pagas pela União.
– A simples leitura do Decreto em momento algum sinalizava para a privatização do SUS.
– Em havendo entendimento futuro dos benefícios propostos pelo Decreto o mesmo poderá ser reeditado.

Leia mais sobre a privatização do SUS

Bolsonaro e Guedes começam a privatizar o SUS no meio da pandemia

Privatização do SUS é vedada pela Constituição porque Saúde é um direito humano fundamental

Recado do Lula sobre o SUS: “é um patrimônio a serviço do povo brasileiro e não pode ser privatizado”

PT denuncia privatização do SUS em plena pandemia

Deu no New York Times: Bolsonaro e Trump deram força à covid-19