Bolsonaro, o governo da desesperança e da palhaçada

A cada dia que passa aumenta a sensação de que Bolsonaro nada tem a oferecer à sociedade, a não ser a desesperança.

O aumento do desemprego, do preço dos alimentos e a volta da fome são as facetas deste triste momento que o Brasil vive.

Em suas andanças por aí, pensando em 2022, Bolsonaro mostra-se mais vazio que um pastel de vento. Nem Guaraná Jesus salva.

Neste sábado, 31, na praia do Guarujá (SP), novamente o mesmo picadeiro.

Pilotou uma motocicleta, aglomerou sem máscara, comeu um pastel e o gado confinado para o ângulo fechado da câmara repetia o nada de sempre: mito!, mito!, mito!

Bolsonaro agora deu de levantar cães e gatos aos céus. Os coitados dos bichos nada entendem. Muito menos eu. Os correligionários vibram, não se sabe por quê.

Feita a imagem para a sua propaganda nas redes, Bolsonaro se recolheu.

Nunca antes na história deste país tivemos um presidente tão vazio e tão sem esperança como esse.

Que Deus tenha pena de nós, brasileiros.