Eduardo Bolsonaro fala em ‘cristofobia’ no Chile enquanto Pantanal e Amazônia queimam no Brasil

A família Bolsonaro faz de tudo para desviar a atenção dos problemas domésticos, como o desemprego e a volta da fome, pautando a ‘cristofobia’ –um neologismo criado pelos conspiracionistas do movimento terrorista QAnon.

O filho do presidente Jair Bolsonaro, o deputado Eduardo “Bananinha” Bolsonaro (PSL-SP), publicou um vídeo com igrejas queimando no Chile. Ele atribuiu o ato de vandalismo à ‘cristofobia’ do qual seu pai falou no discurso da ONU.

“Ontem a esquerda “comemorou” um ano do início dos ataques comunistas pra desestabilizar o Chile”, escreveu o Zero Três, ex-futuro embaixador nos Estados Unidos.

“Para isso, entre outros crimes. destruíram igrejas históricas”, acusou o filho do presidente brasileiro.

De acordo com o post de Eduardo Bolsonaro, o seu pai, Jair Bolsonaro, está certo ao falar em CRISTOFOBIA. “Alguma dúvida de quanto o comunismo odeia a fé Cristã?”, perguntou “Bananinha”.

O filho do presidente Bolsonaro quer criar um clima que não existe entre cristofobia x ateubofia, ambos devaneios.

Revolta no Chile x torcida de futebol

Segundo agências de notícias, cerca de 25 mil chilenos ocupavam a Praça Itália, no centro de Santiago, neste domingo (18), enquanto torcidas de futebol se confrontavam nas ruas. Coquetéis molotov foram arremessados contra igrejas, polícia e supermercados. Portanto, não foi um movimento de “Cristofobia” como quer fazer crer os Bolsonaro.

Durante as manifestações [sim, havia duas: uma política e outra de torcedores de futebol] duas igrejas foram incendiadas no primeiro aniversário das revoltas no Chile. Uma semana antes do plebiscito constitucional, também foi incendiada uma estação do metrô e foram registrados saques em supermercados e ataques a quartéis policiais.

Por falta de condições intelectuais, Eduardo “Bananinha” chama de cristofobia a revolta contra o diabólico neoliberalismo no Chile.

Derrota na Bolívia

Eduardo “Bananinha” Bolsonaro tenta criar uma cortina de fumaça com essa história de “cristofobia” para esconder a derrota que ele, seu pai, e a direita internacional sofreram com a eleição de Lucho Arce, neste domingo, na Bolívia. O MAS (Movimento Ao Socialismo), do ex-presidente Evo Morales, venceu a eleição presidencial no primeiro turno.

Leia mais sobre a América Latina

Veja a íntegra do discurso do presidente Jair Bolsonaro na ONU

QAnon é 1 movimento terrorista e o PT denuncia atuação de grupo no Brasil

Alberto Fernández parabeniza Lucho Arce por vitória na Bolívia

Entenda por que a vitória de Evo na Bolívia é uma péssima notícia para Bolsonaro

Compartilhe agora