Bolsonaro diz que não tomará vacina chinesa contra a Covid-19

Em entrevista à rádio Jovem Pan na noite de quarta-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que não vai tomar a vacina chinesa CoronaVac contra a Covid-19.

“Eu não tomo a vacina. Não interessa se tem uma ordem, seja de quem for, aqui no Brasil. Eu não vou tomar”, disse o presidente.

Bolsonaro também disse na entrevista que vetou a compra pelo governo federal de 46 milhões de doses da vacina porque falta credibilidade ao país asiático.

“Lamentavelmente, já existe um descrédito muito grande [com a China], até porque, como muitos dizem, esse vírus teria nascido lá”, afirmou.

LEIA TAMBÉM
PT apresenta projeto que torna obrigatória vacinação contra a Covid-19

Partidos da Oposição repudiam Bolsonaro por vetar vacina chinesa contra a Covid-19

Eduardo Pazuello, do ‘quartel’ da Saúde, está com Covid-19

Bolsonaro fez o povo de cobaia com a cloroquina, diz PT

Questionado sobre a possibilidade de trocar de ministro da Saúde, ele garantiu que o general Eduardo Pazuello continuará no cargo.

“Sem problema nenhum, ele é meu amigo de muito tempo. Ele continuará ministro”, disse.

Na entrevista, o presidente afirmou ainda acreditar que Judiciário não permitirá que os estados obriguem os moradores a se imunizar.

“Eu acho que tudo tem um limite e tenho certeza que o poder judiciário não vai se manifestar nessa situação. Tenho conversado com muita gente em Brasília que dizem para mim que não tomariam a vacina chinesa porque não tem confiança na mesma”, frisou.

A vacina CoronaVac está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo. O imunizante está na fase 3 de testes em humanos e no Brasil participam 13 mil voluntários.

Assista ao vídeo da entrevista:

Compartilhe agora