[Vídeo] Pazuello vira ministro da Saúde com 133 mil mortes por covid-19

O general Eduardo Pazuello foi empossado como ministro da Saúde, nesta quarta-feira (16), quando o país contabiliza 133 mil mortes por covid-19.

O militar assumir interinamente a pasta no dia 16 de maio, momento que o Brasil tinha 14 mil mortes pela doença.

Pazuello entrou no lugar de Nelson Teich, que ficou apenas um mês no cargo. Teich tinha substituído Luiz Henrique Mandetta, que entrou em rota de colisão com o presidente Jair Bolsonaro.

Em seu discurso de posse, hoje, Eduardo Pazzuello disse que lutou para que as pessoas não ficassem em casa e fossem buscar ajuda precoce para o combate à covid-19.

Durante seu período, Pazuello foi criticado pela militarização do Ministério da Saúde e pela necropolítica.

Em julho passado, o ministro do STF, Gilmar Mendes, afirmou que “o Exército estava se associando a um genocídio” ao manter Pazuello na Saúde.

Na cerimônia de posse, nesta quarta, o presidente Jair Bolsonaro voltou a encarnar a figura do garoto-propaganda da cloroquina no tratamento da covid-19.

Assista ao vídeo:

LEIA TAMBÉM

[Vídeo] Vereador bolsonarista de Curitiba ataca a Umbanda no ensino religioso

O vereador bolsonarista de Curitiba, Ezequias Barros (PMB), publicou um vídeo em suas redes sociais criticando as aulas da rede municipal de ensino que abordavam rituais de Umbanda.

A postagem, que leva o título “Você ensinaria isso para seu filho?”, traz um recorte de uma videoaula da TV Escola, da Secretaria Municipal de Educação. No trecho da aula é abordada a história de Iemanjá, orixá cultuada pelas religiões de matriz africana: Umbanda e Candomblé.

Assista ao vídeo:

Junto com o vídeo, Ezequias publicou o seguinte texto:

“URGENTE!!!

Recebi relatos de vários pais e avós indignados com as aulas de ensino religioso que estão disponibilizadas no link da TV Escola, da Rede Municipal de Ensino de Curitiba e no Youtube. Fui verificar, e constatei os fatos!!

A verdade, é que as aulas que seriam de conteúdo histórico e não ideológico, estão sendo lecionadas com conteúdo orientando a prática religiosa dentro de sala de aula, com o exercício de Orações, Oferendas, e o aprendizado de cânticos para crianças de 6, 7 e 8 anos. Isso tudo feito com palavras de incentivo da professora da disciplina. Nessa fase a criança está no período mais agudo do processo de desenvolvimento, e cabe a família orientar a prática religiosa. Digo e repito,

RELIGIÃO SE ENSINA EM CASA.
Você, concorda com esse tipo de conteúdo? E que sue seu filho(a) ou neto(a) assista esse tipo de aula?”

Ezequias é pastor auxiliar na Igreja O Brasil para Cristo, no bairro Pinheirinho em Curitiba, onde é membro há mais de 20 anos.

Estranho que a obrigatoriedade de ensino religioso nas escolas parte, geralmente, parte de religiosos. Mas são os mesmos que discriminam as religiões alheias, em especial as de matriz africanas.

Com informações do Site Parágrafo 2.