Vacina Russa contra a Covid-19 apresenta resultados animadores

A mais influente revista científica no mundo, The Lancet, publicou os resultados das primeiras duas fases de testes clínicos da vacina russa chamada Sputnik V, contra a Covid-19.

O material publicado responde às críticas de especialistas estrangeiros e traz a tão esperada clareza sobre o desenvolvimento do medicamento pelos cientistas russos.

A Sputnik V foi a primeira vacina contra a COVID-19 registrada no mundo, e ela não só é eficaz no combate ao coronavírus, como também, sua aplicação é segura.

A publicação dos dados da primeira e segunda fases de testes pela The Lancet, segundo afirmam os cientistas do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, é o primeiro passo de uma série de publicações sobre a Sputnik V em revistas científicas.

“Em setembro, também serão entregues para publicação os dados completos dos testes da vacina em animais – primatas, hamsters sírios, ratos transgênicos, nos quais a vacina mostrou 100% de eficiência (os resultados nos primatas e hamsters sírios foram obtidos antes dos testes clínicos). Os primeiros resultados dos testes clínicos pós-registro [terceira fase], com a participação de 40 mil voluntários, serão publicados em outubro-novembro”, disseram os desenvolvedores da vacina, Aleksandr Gintsburg e Denis Logunov, do Centro Gamaleya.

Uma das principais conclusões a que os cientistas do Centro Gamaleya chegam no artigo científico é a segurança da vacina. De acordo com os resultados dos testes clínicos da primeira e segunda fases, não foram detectados pelos especialistas efeitos indesejados graves da vacinação por nenhum dos critérios de avaliação.

Nem todas as outras vacinas contra a COVID-19 podem se orgulhar de tamanho sucesso, algumas elas acabaram trazendo efeitos indesejados graves em 25% dos vacinados.

Como exemplo, é comprovada sua capacidade de gerar uma resposta imunológica duradoura do organismo em 100% dos vacinados graças à tecnologia única de sua aplicação em duas etapas.

Denis Logunov, vice-diretor do Centro Gamaleya, garante que se observa imunidade humoral e resposta imunológica celular em 100% dos vacinados, o que é suficiente para proteger o ser humano de forma eficaz contra a infeção pelo coronavírus.

A publicação dos dados da vacina russa na revista The Lancet é a resposta final às críticas feitas à Rússia após o registro da Sputnik V em agosto passado.

Agora, torcemos para que a vacina seja disponibilizada para aplicação em humanos o mais rápido possível.

As informações são do Sputnik

LEIA TAMBÉM

Efeito Bolsonaro: Embraer demite 2.500 trabalhadores em plena pandemia

PT abre ‘guerra da vacina’ conta Bolsonaro; assista ao vídeo

Lava Jato de São Paulo também é defenestrada a exemplo de Deltan Dallagnol

Depois de idas ao Nordeste, Bolsonaro cai 8 pontos