Rachel Sheherazade é dispensada do SBT por e-mail; veja vídeo

A jornalista Rachel Sheherazade usou as redes sociais, na noite segunda-feira (28), para divulgar que não faz mais parte do SBT. A jornalista contou em seu canal do YouTube que a dispensa aconteceu por e-mail e antes da data já prevista em comum acordo.

“Como vocês já sabem, há cerca de um mês, eu e o SBT decidimos não renovar a nossa parceria de quase 10 anos de trabalho juntos. Nosso contrato, então, deveria seguir até o dia 31 de outubro deste ano, mas o SBT me comunicou, através de um e-mail, que a partir de hoje, segunda-feira (28), eu não mais precisaria voltar à emissora, portanto, apresentar o SBT Brasil. Então, a empresa dá por cumprido o nosso trato”, afirmou.

“Mas em nome dos quase 10 anos que eu estive à frente do SBT Brasil, achei que seria de bom tom não sair ‘à francesa’. Em consideração e respeito a você, meu público, eu venho neste horário habitual dos telejornais, dizer adeus. Adeus não, um até breve.

Rachel encerrou o vídeo dizendo que esse não é o último ‘capítulo da sua vida’, mas sim, um capítulo novo, cheio de sonhos e desafios. “É dever de todos os espíritos livres abominar as amarras e ir além. Beijos e até breve”, finalizou.

A apresentadora nos últimos meses passou a criticar o presidente Jair Bolsonaro, que tem como um dos maiores aliados o empresário Silvio Santos, proprietário do SBT.

Veja o vídeo:

LEIA TAMBÉM:

O ocaso de FHC

PF faz buscas em gabinete do governador Helder Barbalho e prende assessores

MP repudia matéria do Globo sobre denúncia contra Flávio Bolsonaro e bolsonaristas festejam

PT divulga nota de repúdio à ação da PF contra Guilherme Boulos em SP

O Partido dos Trabalhadores distribuiu uma nota oficial, na noite desta segunda (28), condenando a ação da Polícia Federal e se solidarizando com Guilherme Boulos, candidato do PSOL, à Prefeitura de São Paulo.

O documento de repúdio à PF é assinado pela presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), e pelo secretário-geral do PT, o também deputado Paulo Teixeira (SP), que conclamam a todos os democratas a se levantarem contra mais este crime de Bolsonaro e lutar pelo restabelecimento pleno da democracia no país.

“A abertura de investigação da Polícia Federal sobre manifestações de Boulos nas redes sociais, com críticas ao atual presidente, confirma a índole fascista e totalitária do governo de extrema-direita, a serviço da agenda neoliberal no país”, diz um trecho da nota.

O PT vê no ato intimidatório contra Boulos semelhanças ao lawfare contra Lula, nas eleições e 2018, quando o petista foi proibido de concorrer à Presidência da República.

“Mais uma vez instituições do estado democrático são utilizadas para atacar a própria democracia, como ocorreu em 2018 para tirar da maioria do povo brasileiro o direito de eleger Lula presidente mais uma vez”, compara a agremiação petista.

Leia a integra da nota de repúdio do PT:

PT: Ação da PF contra Boulos é mais um crime de Bolsonaro

O Partido dos Trabalhadores está solidário ao líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Guilherme Boulos, no repúdio e na denúncia de mais uma violação da democracia e do estado de direito por parte do governo Bolsonaro.

A abertura de investigação da Polícia Federal sobre manifestações de Boulos nas redes sociais, com críticas ao atual presidente, confirma a índole fascista e totalitária do governo de extrema-direita, a serviço da agenda neoliberal no país.

Esta violação tornou-se pública no dia seguinte à abertura da campanha eleitoral, na qual Boulos é candidato à prefeitura de São Paulo, o que a torna ainda mais grave, pois volta-se diretamente contra o direito de oposição e a liberdade do voto popular.

Mais uma vez instituições do estado democrático são utilizadas para atacar a própria democracia, como ocorreu em 2018 para tirar da maioria do povo brasileiro o direito de eleger Lula presidente mais uma vez.

O PT conclama todos os democratas a se juntar no repúdio a mais este crime de Bolsonaro e lutar pelo restabelecimento pleno da democracia no país.

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores

Paulo Teixeira, secretário-geral do Partido dos Trabalhadores

Brasília, 28 de setembro de 2020.

Compartilhe agora