Moro é intimado para depor contra Bolsonaro no inquérito das fake news

O ex-juiz Sérgio Moro foi intimado nesta sexta-feira (18) para depor na Polícia Federal contra os movimentos bolsonaristas considerados antidemocráticos.

A informação é do advogado Rodrigo Sánchez Rios, que representa o ex-juiz da Lava Jato.

Moro vai depor como testemunha no inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar a organização e o financiamento de supostos atos antidemocráticos.

Esses movimentos de extrema direita apoiam o presidente Jair Bolsonaro e suas ações beneficiaram o inquilino do Palácio do Planalto.

Trata-se do inquérito das fake news surgido após críticas de bolsonaristas a ministros do STF e do Congresso Nacional.

“A oitiva é motivada em razão de ele ter ocupado, à época dos fatos, a titularidade do Ministério da Justiça e Segurança Pública”, esclareceu Sánchez Rios.

O depoimento irá ocorrer daqui duas semanas, no dia 2 de outubro, na superintendência da Polícia Federal de Curitiba.

Os jornalões da velha mídia corporativa querem pegar uma carona no inquérito do Supremo para criminalizar publicações de extrema direita, que, de acordo com a Constituição, têm direito à liberdade de expressão.

Para Globo, Folha, Estadão e demais veículos da velha mídia, a criminalização –rotulando todas as opiniões como “fake news” dissonantes– sobraria mais dinheiro do governo para eles.

O que a velha mídia chama de “fake news”, na esperteza, o Blog do Esmael considera tentativa de “censura” àqueles que fazem contraposição ao status quo, à ditadura da opinião única.

‘Bolsonaro tem medo de enfrentar Lula nas urnas em 2022’, dizem petistas

Petistas acharam estranha a pesquisa que aponta 70% dos brasileiros recomendado ao ex-presidente Lula a não participação nas eleições de 2022.

O levantamento da Paraná Pesquisas, afirma que os brasileiros não desejam que o petista volte às urnas em 2022.

Para membros do PT, a sondagem beneficia o presidente Jair Bolsonaro. Logo, analisam, o capitão planeja fugir do embate contra Lula.

O instituto ainda assegura que a maioria dos brasileiros não acredita que Lula não será principal rival de Bolsonaro nas urnas em 2022.

A Paraná Pesquisas registra também que a impopularidade do ex-presidente segue alta em todo o País.

Além disso, a sondagem destaca que 64% dos entrevistados, caso o STF anule as condenações de Lula, a corte não deveria permitir a candidatura do ex-presidente em 2022. O número é praticamente o mesmo dos que não acreditam que o petista será o principal adversário de Bolsonaro.

De acordo com a Paraná Pesquisas, a expectativa geral do eleitorado brasileiro é que o candidato do PT seja mesmo Fernando Haddad.

A Paraná Pesquisas ouviu 2.008 brasileiros em 26 estados e o Distrito Federal entre os dias 10 e 12 de setembro. A margem de erro é de 2,2% para mais ou para menos.

Compartilhe agora