Lula e Moro “batem boca” pelas redes sociais, segundo a velha mídia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-juiz Sérgio Moro, de forma inédita, “trocaram farpas” pelas redes sociais –de acordo com a percepção da velha mídia corporativa.

O líder petista disse em entrevista ao site Diário do Centro do Mundo (DCM), nesta terça-feira (15), que Moro era “desequilibrado” e “medíocre” e ainda acusou o ex-juiz de ter criado “pirotecnia” quando pediu demissão e acusou Jair Bolsonaro de ter tentado interferir na Polícia Federal para blindar familiares e amigos.

Ao DCM, o ex-presidente afirmou que Moro poderia ter demonstrado seriedade quando virou bolsonarista [ao aceitar ser ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro].

“Ele é tão medíocre que quando sai, ele tenta criar mais uma pirotecnia com o apoio da Globo: ‘Ah, eu vou sair porque o Bolsonaro quer indicar o diretor-geral da Polícia Federal’. É importante lembrar que o presidente da República tem o direito de indicar o diretor da Polícia Federal, sim. Eu indiquei duas vezes e nunca pedi nem orientei porque eles têm autonomia. E por que o Moro achava que ele podia e o Bolsonaro não podia? Tenta ganhar a opinião pública mentindo outra vez”, disparou Lula.

Nesta quarta-feira (16), foi a vez de Sérgio Moro “responder” ao ex-presidente Lula. O ex-juiz da Lava Jato “respondeu” ao petista com o silêncio.

Sim, Sérgio Moro não quis passar recibo aos adjetivos de “desequilibrado” e “medíocre” lançados por Lula. No entanto, a mídia lavajatista considerou uma “resposta” o silêncio do ex-juiz.

“Moro condenou Lula por corrupção no caso do tríplex do Guarujá e não é partidário de discutir o que quer que seja com condenados, mesmo sendo chamado de ‘desequilibrado’ e ‘medíocre’ por Lula”, advogou a revista Veja, por exemplo.

Note que a velha mídia tem “procuração” de Moro para bater boca com Lula.

Nos próximos dias, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) irá julgar o habeas corpus do ex-presidente Lula que pede a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro. O petista acusa Moro de falta de imparcialidade nos julgamentos no caso.

LEIA TAMBÉM

‘Senhor da Guerra ronda o Brasil’, denuncia o PT, sobre visita de Mike Pompeo a Roraima

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, e o secretário Romênio Pereira manifestam profunda preocupação com a visita do chefe de Departamento do Estado dos EUA, Mike Pompeo, à Boa Vista, fronteira com a Venezuela.

“O governo brasileiro, capitaneado por Jair Bolsonaro, demonstra mais uma vez sua submissão aos ditames do governo de Donald Trump”, denunciam os petistas em documento divulgado nesta quarta-feira (16).

A visita de Mike Pompeo, na fronteira com a Venezuela, está prevista para a próxima sexta-feira (18).

“É obviamente uma provocação”, adverte o chanceler Celso Amorim. “Essa é a única explicação para uma visita do Secretário de Estado norte-americano a Boa Vista, a capital que é porta de entrada para o país vizinho”, diz.

Leia a íntegra da nota do PT:

PT repudia visita de Mike Pompeo a Roraima

O Partido dos Trabalhadores (PT) manifesta uma profunda preocupação com a visita do Secretário de Estado dos Estados Unidos da América (EUA), Mike Pompeo, à cidade de Boa Vista, capital de Roraima.

Esta visita, prevista para a próxima sexta-feira, 18 de setembro, tem como objetivo seu encontro com imigrantes venezuelanos no Brasil para expressar seu apoio a esta população que, segundo o governo dos EUA, foge de um suposto regime ilegítimo de Nicolás Maduro.

As alegações contra Maduro são, porém, totalmente infundadas. Não é possível acusar de ilegítimo um governo eleito num processo democrático e legal. Ilegítima é a constante ingerência estadunidense nos assuntos soberanos de outros país.

Causa ainda mais estranheza que esta viagem de Pompeo incluirá também outros países vizinhos da Venezuela, como a Colômbia e a Guiana, além do Suriname, país igualmente próximo.

O governo brasileiro, capitaneado por Jair Bolsonaro, demonstra mais uma vez sua submissão aos ditames do governo de Donald Trump, colocando-se sempre aberto a seguir suas ordens ou receber seus representantes em nosso território, num processo contínuo de afronta a nossa soberania.

O PT não se calará ante mais este ataque a nosso país e seguirá o caminho de sempre em sua defesa, sua total independência nas relações internacionais e a implementação de uma política soberana para toda a América do Sul.

Este é um caminho já trilhado quando ocupamos o governo federal, que se mostrou altamente exitoso não somente para o Brasil, como para seus vizinhos e outras nações em todo o mundo.

Gleisi Hoffmann, Presidenta Nacional do PT

Romênio Pereira, Secretário de Relações Internacionais do PT