Eleições 2020: Marília Arraes lidera no Recife com 19,1%

Uma semana após as convenções partidárias, a candidata Marília Arraes (PT) aparece liderando as intenções de votos dos recifenses, de acordo com um levantamento feito pelo Instituto Opinião divulgado nesta quarta-feira (23). De acordo com os dados, a petista tem 19,1% da preferência do eleitorado.

O segundo lugar é disputado duramente entre os candidatos João Campos (PSB) com 14,3%, Mendonça Filho (DEM) com 13,5%, e Patrícia Domingos (Podemos) com 12,5%.

Os demais candidatos apresentam a seguinte intenção de voto:

– Marco Aurélio (PRTB) surge em quinto lugar, com 3,3%;
– Alberto Feitosa (PSC) com 2,3%;
– Thiago Santos (UP) com 0,5%;
– Carlos Andrade Lima (PSL) com 0,3%;
– Cláudia Ribeiro (PSTU) com 0,3%;
– Charbel Maroun (Novo), com 0,1%;
– Brancos e nulos somam 19,6%;
– Indecisos chegam a 14,2%.

O Instituto também realizou a pesquisa espontânea, quando o público entrevistado traz à tona o nome do candidato de sua preferência, sem ser estimulado por listas de pesquisa. Nela, os primeiros lugares se mantém, tendo Marília na liderança com 7,1%, João Campos em seguida, com 5%, e Mendonça e Patrícia empatados, com 3,9%.

Marco Aurélio foi lembrado por 0,5%, Feitosa por 0,3%, Carlos Andrade Lima por 0,1%, Cláudia Ribeiro, por 0,1%, e Thiago Santos por 0,1%. Neste cenário, brancos e nulos representam 14% e indecisos sobem para 62%.

A pesquisa também avaliou a gestão atual do prefeito de Geraldo Júlio (PSB), que tem aprovação de 47,4% dos entrevistados, enquanto 45,4% o desaprovam.

Cenários para o segundo turno

Na construção de um cenário somente com os candidatos mais competitivos, Marília Arraes aparece na frente de todos os adversários. No embate com João Campos, ela venceria com 36,9% dos votos contra 25,6%. Com Mendonça, a diferença seria de 39,6% contra 28,9%. Contra Patrícia, Marília levaria com 39,4% e a delegada 30,1%.

Em uma disputa entre Mendonça e João Campos, o democrata venceria com 32,4% ante os 30,6% do pessebista. Já num cenário em que estivessem no segundo turno a delegada e João, Patrícia venceria. Segundo o levantamento, Patrícia teria 33,1% e João 32,8%. E na disputa entre a delegada e Mendonça, a candidata do Podemos também ganharia. Teria 35,4% contra 28,9%.

LEIA TAMBÉM:

Manuela D’Ávila lidera a disputa eleitoral em Porto Alegre com 21%

Pesquisa Exame/Ideia SP: Covas e Russomanno embolados; Boulos em 3º

O impeachment de Witzel é a prova de que a política tem que voltar para os políticos

Rejeição

Neste método, João Campos faz frente com 19,5% dos entrevistados, que disseram não votar nele de jeito nenhum. Em seguida, surge Mendonça Filho, tendo a rejeição de 10,9% dos entrevistados, com a mesma opinião. Depois, aparece Marília, com um percentual de 5,4%. Os demais, seguem a ordem de Alberto Feitosa, com 5,1%, Marco Aurélio, com 2,9%, Patrícia Domingos, com 2,6%, Charbel, com 2%, Carlos, com 1,5%, Thiago Santos, com 0,9% e por último, Cláudia, com 0,6%.

Ainda entre os entrevistados, 14% disseram que rejeitam todos os candidatos e 34,6% disseram que não rejeitam nenhum dos candidatos.

O Instituto Opinião aplicou 800 questionários no Recife entre os dias 19 e 20 de setembro. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, com intervalo de confiança estimado em 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com o número de protocolo PE-01565/2020.

Compartilhe agora