Apoiadores de Bolsonaro convocam protesto contra ‘Constituição Comunista’ no domingo 13

Morro e ainda não vejo tudo, diz o ditado popular. Então tome mais essa, vindo dos bolsonaristas de Curitiba.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro estão convocando um protesto para este domingo (13) contra, segundo eles, a ‘Constituição Comunista de 1988’.

A Constituição de 88 foi resultado de um pacto da sociedade brasileira na saída da traumática ditadura militar, que vigorou entre no país 1964-1985.

A Carta Magna também é conhecida como “Carta Cidadã” ou “Constituição Cidadã” porque ela prevê direitos e garantias fundamentais, universalização de serviços essenciais, e veda preconceitos, bem como propõe um Estado Democrático de Direito, ora constantemente violado pelo governo de plantão.

A manifestação será em frente ao Quartel da Aeronáutica, o 20º Batalhão de Infantaria Blindado, no bairro Bacacheri.

A panfletagem estaria ocorrendo nos pontos mais movimentados da capital paranaense.

Curitiba, cidade progressista, convive com os extremos nesses tempos de pandemia e de Bolsonaro.

Durante o feriadão da Pátria, o 7 de Setembro, esses mesmo apoiadores de Bolsonaro foram às ruas contra a vacinação contra a covid-19.

No entanto, os bolsonaristas defenderam o tratamento precoce com hidroxicloroquina e aplicação anal do ozônio.

LEIA TAMBÉM

  • Presidente da OAB vira alvo de robôs bolsonaristas após delação
  • Joice Hasselmann chama bolsonaristas de ‘gado’ e rebate ataques
  • iFood abandona Olavo de Carvalho; bolsonaristas pregam boicote
  • Argentina: Oposição de direita surta contra parlamentes; bolsonaristas falam em golpe
  • Lava Jato ataca escritório de advogado de Lula em nova operação midiática

    O escritório do advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Lula, foi alvo de um ataque da força-tarefa Lava Jato na manhã desta quarta-feira (9).

    A ‘Operação E$quema S’ investiga suposto desvio de pelo menos R$ 150 milhões do Sesc, Senac e Fecomércio.

    O escritório de Cristiano Zanin Martins foi delatado por Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio.

    Segundo a Lava Jato, a ‘Operação E$quema S’ investiga desvios de pelo menos R$ 150 milhões do Sistema S do RJ por escritórios de advocacia no Rio e em São Paulo, para propinas a agentes públicos. A operação é baseada em uma delação premiada de Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio.

    A operação da Lava Jato ocorre dois dias após o ex-presidente Lula fazer um pronunciamento à Nação, no 7 de Setembro, e se colocar como candidato à presidência em 2022. O Blog do Esmael não acredita em coincidências.

    Além de atingir o escritório de Zanin, a ‘Operação E$quema S’ deu uma desbaratinada ao cumprir mandados também contra os advogados Frederick Wassef (ex-advogado da família Bolsonaro) e Ana Tereza Basílio (Wilson Witzel).

    Nessa operação de hoje, o presidente Jair Bolsonaro, o ex-presidente Lula e governador afastado Wilson Witzel não são investigados.

    A Polícia Federal informa que cumpriu 50 mandados de busca e apreensão. Nenhum de prisão.