72% querem aulas presenciais somente depois da vacina contra a Covid-19, diz Ibope

O Ibope divulgou uma pesquisa nesta segunda-feira, 7 de setembro, afirmando que 72% querem a retomada das aulas presenciais somente depois da vacinação contra a Covid-19.

De acordo com o instituto de pesquisa, na região Sul esse índice contrário à volta às aulas antes da vacina sobe para 77%.

O Ibope diz que entrevistou 2.626 brasileiros com mais de 18 anos, de todas as classes sociais, pela internet, entre os dias 21 e 31 de agosto.

Segundo as entidades ligadas à educação, apenas o estado do Amazonas retomou as aulas presenciais.

As aulas presenciais estão previstas para serem retomadas em São Paulo e Rio Grande do Sul partir desta terça-feira (8).

Rio de Janeiro, Piauí, Pernambuco e Pará também já têm datas marcadas que vão do próximo dia 14 até outubro.

No próximo sábado, dia 12, a APP-Sindicato, um dos mais importantes sindicatos de educadores do país, irá avaliar a deflagração de uma greve geral contra a volta das aulas presenciais no Paraná.

O Brasil tem 4.137.521 casos confirmados e 126.650 mortes por covid-19 neste domingo (6), segundo o Ministério da Saúde.

LEIA TAMBÉM

  • UBES entra na Justiça pela suspensão das aulas em Manaus
  • Volta às aulas na capital paulista depende de pesquisa sorológica
  • Volta às aulas na pandemia é um crime contra as crianças
  • “Escola Sem Covid”
  • Presidente Jair Bolsonaro em “alta” em Cornélio Procópio (PR); confira

    Outdoors no município de Cornélio Procópio (PR) tiram o sono do presidente Jair Bolsonaro e apavora a Secom.

    Um outdoor na cidade de Cornélio Procópio, no Paraná, mostra o humor de parte dos brasileiros com o presidente Jair Bolsonaro: “Mamata acima de tudo. Minha família acima de todos.” “E daí”, arremata a peça publicitária.

    O cartaz é assinado pelo movimento antifascista do município do Norte Pioneiro paranaense.

    “O presidente tá com maior cartaz em Cornélio Procópio”, ironizou o jornalista Xico Sá.

    As redes sociais disseminam o outdoor em meio às críticas à Secretaria de Comunicação da Presidência da República, a Secom, que usou os canais oficiais para atacar o humorista Marcelo Adnet.

    Em Cornélio Procópio, tem vários cartazes contra Bolsonaro. Dentre tantos, outro em que o presidente aparece entre um rebanho de gado pedindo respeito ao voto.

    Mas aí a Secom esclareceu, o que levantou a polêmica:

    “Com referência a foto dos pecuaristas em apoio a nosso presidente Bolsonaro, a Secom vem esclarecer que Cornélio Procópio é apenas o nome da cidade, desfazendo insinuações maldosas que nosso pujante agronegócio se referia a vida conjugal do presidente.”

    “Nunca estive em Cornélio Procópio mas já considero uma grande cidade”, escreveu um internauta.

    Outro internauta, que postou o cartaz da mamata, desafiou: “Esse também é de Cornélio Procópio, mas o Secom não quer divulgar, ajuda aí!”