Senado deu “péssimo sinal” ao derrubar veto de Bolsonaro que limita reajustes de servidores, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Senado deu um “péssimo sinal” ao derrubar na quarta-feira (19) o veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que impedia reajustes salariais a servidores públicos até o fim de 2021. O veto ainda será analisado pela Câmara dos Deputados.

“O Senado deu um sinal muito ruim permitindo que justamente os recursos que foram para a crise da saúde possam se transformar em aumento de salários, isso é um péssimo sinal. Isso tem efeito sobre a taxa de juros, muito ruim, muito ruim”, afirmou Guedes a jornalistas na noite de quarta-feira. “Vamos torcer para a Câmara conseguir segurar a situação”, acrescentou.

LEIA TAMBÉM
Senado derruba veto de Bolsonaro aos reajustes para servidores da Saúde, Educação e Segurança

“Irresponsável”: redes sociais detonam o presidente Jair Bolsonaro

Brasileiros acreditam que o desemprego vai piorar, diz Datafolha

O ministro também afirmou que a derrubada do veto pelo Senado “é um crime contra o país”.

“Não pode o desentendimento político estar acima da saúde do Brasil na hora que o Brasil começa a se recuperar. Quer dizer, pegar o dinheiro da saúde e permitir que se transforme em aumento de salário de funcionalismo é um crime contra o país”, disse.

A proibição da concessão de reajustes salariais a servidores públicos foi estabelecida como contrapartida ao auxílio federal de 60 bilhões de reais repassados a Estados e municípios para o enfrentamento da crise causada pelo novo coronavírus.

Com a derrubada do veto, ficam de fora da restrição categorias como as de profissionais de segurança pública, saúde, educação, agentes penitenciários e militares.

Com informações da Agência Reuters