Ronaldinho Gaúcho e Assis são soltos no Paraguai e podem voltar ao Brasil

O ex-jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto de Assis, foram libertados da prisão domiciliar no Paraguai, na tarde desta segunda-feira (24).

Os dois estavam detidos preventivamente há mais de cinco meses após entrarem no país com documentos paraguaios adulterados.

Ronaldinho deve pagar mais de R$ 500 mil e o irmão dele, condenado por uso dos documentos falsos, mais de R$ 600 mil. Além disso, Assis deverá se apresentar a uma autoridade judicial brasileira a cada quatro meses.

O valor da multa será descontado dos mais de 1,6 milhão de dólares depositados como fiança, em abril, quando foi concedida a prisão domiciliar. Segundo o juiz, cerca de 1,4 milhão de dólares será ressarcido à dupla.

Como a Justiça acatou o pedido do Ministério Público, após o prazo legal, o processo será arquivado.

Conforme o advogado de defesa, a investigação do Ministério Público não encontrou nenhuma prova relacionada aos crimes que a promotoria suspeitava, como lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Com informações do G1.

LEIA TAMBÉM
Pai de Flávio Dino morre por complicações da Covid-19

Bolsonaro chama jornalistas de bundões, menos o Alexandre Garcia

Bolsonaro dispara contra a Globo e quer saber dos repasses de Messer à família Marinho