PSD abre processo de expulsão da deputada Flordelis

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, informou nesta segunda-feira (24) que o partido vai adotar medidas para suspender a filiação e para a expulsão da deputada federal Flordelis (RJ).

Flordelis é acusada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo. As investigações apontam que o crime foi motivado por questões financeiras.

“O PSD esclarece que desde o início acompanhou o caso citado e defendeu o andamento e aprofundamentos das investigações. Diante do indiciamento da parlamentar, o corpo jurídico do partido adotará as medidas para a suspensão imediata de sua filiação e, a partir dos desdobramentos perante a Justiça, serão adotadas as medidas estatutárias para a expulsão da parlamentar dos seus quadros”, informou Kassab em nota.

LEIA TAMBÉM
O Brasil quer saber “Por que Michelle Bolsonaro recebeu R$ 89 mil de Queiroz?”

Bolsonaro chama jornalistas de bundões, menos o Alexandre Garcia

Desenvolvimentismo de PowerPoint, por Jorge Gregory

Nesta segunda, nove pessoas foram presas na Operação Operação Lucas 12 pelo envolvimento na morte do pastor. Entre os detidos estão cinco filhos de Flordelis e Anderson e uma neta.

Segundo as autoridades, a deputada não pôde ser presa por causa da imunidade parlamentar.

Sobre o assassinato
Anderson do Carmo foi assassinado com 30 tiros dentro da própria casa no bairro Badu, em Niterói (RJ), no dia 16 de junho do ano passado. Na ocasião, Flordelis disse que o pastor teria sido morto durante um assalto.