Protesto contra Bolsonaro tem carreata em marcha à ré em São Paulo

Foi realizada nesta terça-feira (4), na cidade de São Paulo, um misto de manifestação com performance artística, em protesto contra o governo Bolsonaro.

Dezenas de carros fizeram um cortejo fúnebre em marchá à, em homenagem aos mortos pela Covid-19. Ao mesmo tempo, os carros tocavam o som de respiradores mecânicos e dos monitores cardíacos de UTI. A carreata percorreu o trecho entre o prédio da Fiesp, na avenida Paulista, e o cemitério da Consolação.

O ato foi uma iniciativa da Companhia de Teatro da Vertigem e de Nuno Ramos. Assista a alguns trechos a seguir:

A intervenção também teve uma execução do Hino Nacional ao contrário:

Nuno Ramos, que é um dos principais nomes das artes plásticas no país, e Antônio Araújo, um dos fundadores da companhia Teatro da Vertigem coordenaram o cortejo. Eles vestiam roupas brancas de laboratório, botas, máscaras e escudos faciais.

Segundo Ramos, a ideia era “usar a linguagem bolsonarista, mas às avessas”. Eles usaram elementos de apoiadores do presidente, como as carreatas contra o isolamento social durante a pandemia e o hino nacional, para criticar um país que vive “a nacionalidade do pesadelo, com tudo andando em marcha ré”; disse o artista.

Dois carros funerários lideravam o cortejo fúnebre chamado “Marcha a Ré”. O Ato vai virar um curta-metragem pelas lentes do cineasta Eryk Rocha a ser exibido na Bienal de Berlim deste ano.

Com informações da Folha de São Paulo e dos Jornalistas Livres

LEIA TAMBÉM