Polícia diz que deputada Flordelis mandou matar o marido

A Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu que a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) é a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo. Ela foi denunciada à Justiça por cinco crimes.

Nesta segunda-feira (24), equipes da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSGI) e do Ministério Público Estadual do Rio prenderam nove envolvidos no assassinato. Quatro filhos do casal foram presos em casa, em Pendotiba, Niterói, na Região Metropolitana. A ação desta segunda-feira foi chamada de Operação Lucas 12.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro volta a ser Bolsonaro: ‘Minha vontade é encher tua boca na porrada’

Bolsonaro engole o debate e a oposição

Lula: A Folha dos Covardes

O delegado Antônio Ricardo Lima Nunes, chefe do Departamento de Homicídios, afirmou em entrevista ao telejornal Bom Dia Rio que “a investigação chegou a esta conclusão: que ela planejou esse assassinato covarde. Motivação é porque ela estava insatisfeita com a forma que o pastor Anderson tocava a vida e fazia a movimentação financeira da família”.

Flordelis não pôde ser presa na operação por ter foro privilegiado. Antônio Ricardo disse que encaminhou o caso para o Superior Tribunal de Justiça.

“O parlamentar tem a sua imunidade. Ele só pode ser preso em flagrante, por crime inafiançável. Então, ela responderá pelo crime, como mandante. E nós também pedimos medidas cautelares”, destacou o delegado.

O delegado frisou que não há dúvidas de que a deputada planejou o assassinato por questões financeiras.

“Ela planejou esse assassinato covarde. Motivação é porque ela estava insatisfeita com a forma que o pastor Anderson tocava a vida e fazia a movimentação financeira da família” disse Antonio Ricardo.

Segundo a Polícia Civil, Flordelis foi indiciada por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, falsidade ideológica, uso de documento falso e organização criminosa majorada. A DHNSGI encaminhará para a Câmara dos Deputados uma cópia do inquérito com o resultado da investigação, para que sejam adotadas as medidas administrativas cabíveis. O procedimento poderá levar ao afastamento da parlamentar para que ela responda pelo crime na prisão.

Os agentes estão em endereços na capital do Rio, em Niterói e São Gonçalo, na região Metropolitana do Rio, e em Brasília, no Distrito Federal. Foram expedidos nove mandados de prisão e 14 de busca e apreensão contra 11 envolvidos no crime.

Sobre o assassinato
Anderson do Carmo foi assassinado dentro da própria casa no bairro Badu, em Niterói, no dia 16 de junho do ano passado. Na ocasião, Flordelis disse que o pastor teria sido morto durante um assalto.

Com informações do O Globo