Lava Jato autoriza viagem de ‘Fora Temer’ para Beirute. Será que ele volta?

O ex-presidente Michel ‘Fora Temer’ (MDB) foi autorizado pela Justiça Federal a viajar ao Líbano em uma missão de ajuda do governo brasileiro ao país, cuja capital, Beirute, foi atingida na semana passada por uma forte explosão, que deixou mais de 150 mortos e 3 mil feridos.

Fora Temer esteve preso no ano passado no âmbito de investigações da Lava Jato, por isso coube ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, a autorização para a viagem entre os dias 12 e 15 de agosto com o objetivo de integrar a missão humanitária.

Fora Temer foi escolhido para chefiar a missão brasileira haja vista que ele é filho de libaneses.

O problema é que o Líbano não tem acordo de extradição com os países do ocidentais, a exemplo do Brasil e do EUA, ou mesmo da Europa.

Recentemente, o ex-presidente mundial da aliança Renault e Nissan, Carlos Ghosn, fugiu para o Líbano após uma temporada na prisão do Japão.

O empresário Luiz Abi Antoun, primo do ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), também escolheu Beirute para escapar das condenações na Justiça do Paraná.

Bolsonaro nomeia integrantes de delegação brasileira que vai a Beirute

O presidente Jair Bolsonaro nomeou os integrantes da delegação que vai representar o governo brasileiro em missão especial a Beirute entre 12 e 15 de agosto. O decreto presidencial com a nomeação foi publicado nesta segunda-feira (10)  em edição extra do Diário Oficial da União, um decreto que designa os integrantes . Entre os integrantes da delegação estão o ex-presidente Michel Temer, os senadores Nelson Trad Filho e Luiz Pastore, o secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Flávio Viana Rocha, e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Uma explosão no dia 4 na região portuária de Beirute,  causada por problemas no armazenamento de cerca de 2.750 toneladas de nitrato de amônio, substância usada na produção de explosivos e fertilizantes, causou pânico e destruição na capital libanesa e dexou mais de uma centena de mortos e milhares de feridos, muitos com queimaduras graves.

O impacto da explosão foi sentido até no Chipre, a mais de 200 km da costa libanesa.

Nesta segunda-feira, o primeiro-ministro do Líbano, Hassan Diab, anunciou a renúncia de seu governo em decorrência da tragédia.

LEIA TAMBÉM

 
PT lança campanha em defesa do legado dos governos Lula e Dilma; assista ao vídeo

Em mais uma ação de comunicação pré-eleitoral, o Partido dos Trabalhadores lançou a campanha “Na hora do vamos ver, quem defende você é o PT”, que será difundida pelas pré-candidaturas, direção e militância do partido em todo o território nacional.

O objetivo central da campanha é defender o legado dos governos petistas, além de reafirmar o compromisso da legenda em defesa dos trabalhadores brasileiros, da soberania nacional e da construção de um Brasil mais justo para todos.

“O PT está sempre ao lado do povo brasileiro nas lutas e conquistas mais importantes para o país e para os trabalhadores. É o partido que, no governo ou na oposição, sempre coloca o povo em primeiro lugar”, diz o texto de abertura da campanha.

O clipe de apresentação com a mensagem da campanha já está sendo divulgado nas redes sociais do PT.

Filmes temáticos
A campanha terá uma série de filmes com temas importantes que trazem também o resgate dos avanços e das conquistas alcançadas durante os treze anos dos governos Lula e Dilma.

Um dos filmes é sobre economia e mostrará a diferença entre o que está ocorrendo hoje no país, no desgoverno de Jair Bolsonaro que já atingiu o número de 12,8 milhões de desempregados formais, em comparação com o governo Lula que chegou à marca de vinte milhões de empregos com carteira assinada.

Também na saúde, tema de outro filme, que puxará pela memória do povo brasileiro em relação aos investimentos e programas desenvolvidos durante os governos do PT, tais como o fortalecimento do SUS, a criação do Farmácia Popular, SAMU, construção de UPAS, implementação do Mais Médicos, entre outros. Enquanto hoje o Brasil assiste com perplexidade uma crise na saúde pública com a pandemia do coronavírus que atingiu a trágica marca dos mais de 100 mil mortos.

Cards
A campanha terá ainda a publicação de vários cards com temas que hoje tomam conta do debate político, como a questão de gênero e a defesa da participação das mulheres na política. O PT hoje é o partido que tem mais mulheres como pré-candidatas a prefeitas às eleições municipais. Assim como irão resgatar a criação da Lei Maria da Penha, a lei que beneficiou as domésticas e o disque-denúncia 180, todas iniciativas dos governos petistas.

Conquistas para a juventude brasileira, como a criação de universidades federais, cujo o número ultrapassa o que foi feito por todos os demais governos anteriores ao PT e os programas que beneficiaram a população estudantil negra. Foram 18 universidades e 178 Campus federais criados durante os governos petistas, e mais Prouni, Pronatec, Sisu e Novo Enem, todos programas desenvolvidos nas gestões do PT.

Diversos outros temas serão abordados na campanha de resgate dos programas sociais, do conjunto de grandes obras, como a transposição do Rio São Francisco, os preços dos combustíveis e do gás de cozinha infinitamente inferiores aos praticados hoje em todo o país.

As mensagens virtuais lembram também de conquistas recentes que tiveram a participação fundamental do PT, como a concessão do auxílio emergencial de R$600,00 em decorrência dos problemas sociais provocados pela pandemia, enquanto que Bolsonaro e Guedes queriam pagar míseros duzentos reais aos trabalhadores atingidos.

Da redação do PT, com Casa 13