Irmã de Evo Morales morre por coronavírus na Bolívia neste domingo

Esther Morales, a irmã mais velha do ex-presidente Evo Morales (2006-2019), morreu na madrugada deste domingo (16) na Bolívia, informou o dirigente político pelo Twitter.

“Acompanho neste momentos de profunda dor de toda a família Morales, a meu cunhado Ponciano Willcarani, a meus sobrinhos e netos ante do falecimento de Esther, que foi uma mãe para todos. Minhas condolências. Que descanse em paz”, escreveu o ex-presidente, exilado na Argentina.

“Por quê tanto ódio, racismo e perseguição política que me impedem de ver, pela última vez, minha única irmã”, acrescentou.

Esther, de 70 anos, faleceu devido à COVID-19, informou o jornal La Patria de Oruro. Ela permaneceu internada por esta doença em um hospital desta cidade do sudeste da Bolívia, enquanto a família tentava a transferência para algum centro médico com CTI.

Esther Morales era a mais velha de sete irmãos da família Morales Ayma (a maioria já falecidos), a quem o ex-presidente boliviano considerava como sua mãe.

Em novembro do ano passado, após a renúncia forçada de Evo Morales, sua residência foi incendiada, assim como outros imóveis de personalidades ligadas ao Movimento ao Socialismo (MAS), o então partido governante.

Com uma população de 11 milhões de habitantes, a pandemia de COVID-19 já provocou na Bolívia 99.146 contágios e mais de 4.000 mortos.

*Com informações de agências internacionais

LEIA TAMBÉM:

Sara Winter pode voltar à prisão após revelar hospital com criança de 10 anos estuprada

Bolsonaro diz que não perde o “Fantástico” deste domingo (16/08/2020)

PF desmente delação de Palocci contra Lula, enquanto Globo sangra com delação de doleiro

Primeira-dama Michelle Bolsonaro testa negativo para covid-19

Diagnosticada com covid-19 desde o fim do mês passado, a primeira-dama Michelle Bolsonaro recuperou-se da doença. Ela postou o resultado do exame mais recente em sua rede social que comprova que o teste molecular para a detecção do novo coronavírus deu negativo.

Na postagem, Michelle agradeceu as orações e as manifestações de carinho. A doença da primeira-dama foi confirmada em 30 de julho. Na ocasião, o Palácio do Planalto informou que ela estava em bom estado de saúde e que seguiria os protocolos estabelecidos.

Durante o período de contaminação, a primeira-dama foi acompanhada pela equipe médica do Palácio do Planalto. O presidente Jair Bolsonaro também contraiu a doença. Ele anunciou o resultado positivo do teste em 7 de julho e permaneceu em isolamento no Palácio da Alvorada até 25 de julho, quando informou estar recuperado.