Greca é confirmado candidato à reeleição pelo Democratas nesta segunda

O Democratas oficializou em convenção virtual, nesta noite de segunda-feira (31) no Palácio Garibaldi, o prefeito Rafael Greca como candidato à reeleição para a prefeitura de Curitiba.

O encontro foi transmitido ao vivo pela página do prefeito Rafel Greca no Facebook e reuniu os convencionais presencialmente. Greca foi aprovado por aclamação, assim como a chapa de candidatos a vereadores e vereadoras do DEM.

Em seu discurso, Greca prometeu ainda mais asfalto e disse que as finanças da cidade foram recuperadas. O prefeito fez velhas promessas que não realizou em seu primeiro mandato como um “novo BRT, a regularização fundiária do Xapinhal e a construção de uma Pirâmide Solar na Caximba”.

O prefeito de Salvador, ACM Neto, presidente nacional do partido, participou da convenção e fez um elogio da administração de Greca. “Uma das mais bem sucedidas do país”, segundo ele.

ACM Neto declarou também que “Greca vai ganhar no primeiro turno”.

LEIA TAMBÉM:

Dilma: ‘O golpe é contra o povo e contra a nação’; veja o discurso histórico

UFPR: Movimentos sociais e partidos de esquerda divulgam nota de apoio ao reitor Ricardo Marcelo

Exército e Carla Zambelli terão que explicar matrícula em Colégio Militar

Requião defende candidatura única das oposições em 2022

O ex-senador Roberto Requião (MDB-PR) foi entrevistado na manhã desta segunda-feira (31) pelo canal na internet do jornalista Fábio Pannunzio.

Pannunzio abriu espaço para o emedebista se manifestar sobre a importância do caso Banestado, as famosas contas CC5, e a divulgação de documentos pelo canal Duplo Expresso –de Romulus Maya.

Requião classificou a briga entre “gerentes” de blogs como “guerra de bugios” e disse que as divergências precisam ser resolvidas para aprofundar as investigações do caso Banestado.

Sobre o Brasil, o emedebista mostrou preocupação com a queda do PIB (Produto Interno Bruto), o desemprego, a falta de consumo e de produção. Para Requião, é hora de a oposição pensar o Brasil apresentando um projeto transitório e candidato único à Presidência da República em 2022.

“É preciso um projeto transitório, candidato único, nesse cenário de queda no PIB provocada pela covid-19. Temos que recuperar os empregos e a produção, pensar mais no Brasil”, discursou o ex-senador Roberto Requião.

Embora advogue pela candidatura única das oposições, Requião continua firme contra a ideia da “frente ampla”. Segundo ele, foi esse frentismo que detonou o governo de Dilma Rouseff e possibilitou o surgimento de Jair Bolsonaro na Presidência da República.

“Foi um acidente de percurso”, disse, referindo-se a Bolsonaro