Gleisi diz que hoje é o ‘Dia da Vergonha’ para o Ministério Público

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), lamentou a posição do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) que decidiu pela prescrição da queixa contra Deltan Dallagnol.

Segundo a dirigente petista, o CNMP tornou-se hoje responsável pela impunidade dos crimes cometidos na coletiva do powerpoint, em 2016, que tinha como objetivo incriminar o ex-presidente Lula.

Os crimes atribuídos ao ex-presidentes forma desclassificados e Lula absolvido da acusação de organização criminosa, mas, na época, serviu à espetacularização na mídia.

“Nenhum conselheiro ousou defender Dallagnol”, disse Gleisi, referindo-se ao coordenador da Lava Jato. A presidenta do PT afirmou ainda que “os 4 anos e 42 adiamentos salvaram o procurador no tapetão da prescrição” e que “ele [Deltan Dallagnol] condenava de maneira hipócrita.”

“Dia de vergonha para o MP”, escreveu Gleisi Hoffmann.

LEIA TAMBÉM:
CNMP arquiva queixa de Lula contra Dallagnol

  • Eleições 2020: Curitiba tem a 1ª pesquisa censurada no País
  • Sheherazade diz que Lava Jato agiu para tirar Lula das eleições; assista
  • Advogado de Lula explica arquivamento do CNMP

    Cristiano Zanin, advogado de Lula, fala sobre julgamento do caso do power point no CNMP.

    “O episódio de hoje reforça o que dizemos há muito tempo: Lula é vítima de lawfare”, disse.

    Segundo o defensor, o CNMP reconheceu que o Ministério Público utilizou politicamente o a estrutura pública contra o petista.

    Zanin ainda lembrou que tem um habeas corpus em julgamento no STF.

    Assista ao vídeo: