Gleisi cobra do STF julgamento de suspeição de Moro

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, nas redes sociais, cobra do Supremo Tribunal Federal o julgamento do pedido de suspeição do ex-juiz Sérgio Moro.

“O pedido de suspeição de Moro está há 2 anos no STF”, disse a dirigente petista, se referindo ao habeas corpus impetrado pelo ex-presidente Lula em 2018.

O ex-presidente acusa Moro, que o sentenciou no caso tríplex de Guarujá (SP), de faltar com a imparcialidade necessária para um juiz.

Além do magistrado, Lula ainda questiona a atuação dos procuradores da Lava Jato.

Para Gleisi, há base para o pedido de HC em abusos notórios: grampo de advogados, vazamentos ilegais, coação, motivação política etc. Diferente das tais “provas” [no caso tríplex] contra Lula que até hoje ninguém viu.

“Por que a Globo tem tanto medo da Justiça?”, questiona Gleisi Hoffmann, para quem a emissora dos Marinho temem “algo” que ainda virá à tona.

O HC de Lula está parado na Segunda Turma do STF, colegiado que é presidido pelo ministro Gilmar Mendes.

Lava Jato quebrou o Brasil

Na esteira da cobrança do julgamento da suspeição de Moro, a presidenta do PT atribui ao ex-juiz da Lava Jato parte da quebradeira na economia brasileira.

Sim, Moro iniciou o ataque aos empregos perseguindo empresas ao invés dos supostos malfeitores. O presidente Jair Bolsonaro, no caso, deu sequência à obra de seu ex-ministro da Justiça.

“Empresas fechando, trabalhadores sem emprego, mas bancos seguem lucrando bilhões, pagam pouco tributo e pouco emprestam”, disparou a petista.

Gleisi denuncia que a Petrobras teve prejuízo e com venda de refinarias, a situação piora.

Segundo ela, o País ficará dependente do preço internacional e lucros cairão nas crises.

LEIA TAMBÉM

  • “Rapaz, você não sabe quanto eu sofri nesses 14 anos”, diz José Genoino
  • Deu no New York Times: Bolsonaro chafurda na lama da corrupção
  • [Vídeo] Lindbergh Farias denuncia fraude de Allan dos Santos
  • “Rapaz, você não sabe quanto eu sofri nesses 14 anos”, diz José Genoino

    O ex-presidente do PT, José Genoino, falou ao Blog do Esmael após a decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), de Brasília, que, na terça-feira (18), extinguiu a punibilidade dele e do ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, Delúbio Soares.

    A Terceira Turma do TRF1, por unanimidade, decidiu pela prescrição do crime de falsidade ideológica na ação penal relativa ao BMG, uma derivação do chamado Mensalão.

    “Rapaz, você não sabe quanto eu sofri nesses últimos 14 anos”, disse Genoino ao titular desta página. O ex-presidente do PT iria conceder uma entrevista exclusiva ao Blog do Esmael, mas teve de cancelá-la em virtude do contrato com sua editora.

    José Genoino está escrevendo uma autobiografia sobre a participação dele na militância estudantil, na guerrilha do Araguaia, no parlamento e na presidência do PT. A história começa em Quixeramobim, cidade em que ele nasceu no Ceará.

    Na obra ainda no prelo, o petista detalha como ele passou de guerrilheiro a figura estratégica na articulação entre PT e as Forças Armadas nos governos Lula (2003-2010) e Dilma (2011-2016).

    Ex-presidente nacional do PT, Genoíno foi condenado em 2012 no processo do mensalão a 4 anos e 8 meses de reclusão. Cumprida em regime semiaberto e domiciliar, a pena foi extinta em 2015 pelo STF.

    Em novembro de 2013, o então deputado federal licenciado sofreu um infarto. Na época, ele cumpria pena no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

    Isso e muito mais José Genoino promete relatar na sua esperada biografia.