Futebol: Atlético-MG derrota Ceará; Flamengo bate Coritiba; e Treze é campeão na Paraíba

O Atlético-MG teve Marrony em estado de graça para vencer o Ceará por 2 a 0 neste domingo (16), pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. O atacante sofreu um pênalti, que ele próprio converteu, e ainda fechou o placar no Mineirão, mantendo o Galo com 100% de aproveitamento na competição.

O resultado levou o Atlético a nove pontos em três jogos, na liderança parcial da Série A – veja AQUI a classificação. Athletico-PR e Internacional, que ainda vão à campo neste domingo (16), podem ultrapassar os mineiros. Já o Ceará, com um só ponto, está em penúltimo e pode ser superado na tabela pelo Fortaleza, caso o rival derrote o Botafogo na rodada.

Apesar do favoritismo, o Galo foi neutralizado pelos cearenses no primeiro tempo. As equipes foram para o intervalo zeradas no placar e com o mesmo número de finalizações (cinco). Só que o atual campeão da Copa do Nordeste pecou nos chutes, já que nenhum deles foi em direção ao gol defendido por Victor.

Na etapa final, o Ceará manteve a agressividade, com mais oito arremates, mas o filme dos 45 minutos iniciais se repetiu, com só uma das finalizações na meta atleticana. Os mineiros, com dificuldades na partida, dependeram da individualidade de Marrony para mudar a história do jogo. Aos 27 minutos, o ex-atacante do Vasco foi puxado pelo zagueiro Gabriel Lacerda dentro da área. Na cobrança da penalidade, ele deslocou o goleiro Fernando Prass para abrir o placar.

Com a vantagem no placar, o Atlético aproveitou que o Ceará se lançou ao ataque para buscar o empate e definiu o marcador, novamente com Marrony. O jogador foi lançado em contra-ataque, ganhou na velocidade e bateu na saída de Fernando Prass para confirmar a vitória mineira, aos 46 minutos.

O Atlético-MG tem outro rival alvinegro pela frente. Pela quarta rodada do Brasileirão, o Galo visita o Botafogo na quarta-feira (19), às 21h30 (horário de Brasília), no Rio de Janeiro. Já o Ceará tentará a reabilitação em casa na quinta-feira (20), diante do Vasco, às 20h, em Fortaleza.

Mesmo sem 15 atletas com covid-19, Goiás ataca mais que Palmeiras

Uma equipe ter 15 desfalques devido ao novo coronavírus (covid-19) chama atenção, mas trata-se de um cenário que deverá ser comum ao longo de um Campeonato Brasileiro, disputado em meio a uma pandemia que registra, em média,  entre 40 a 45 mil novos casos por dia.  Ainda assim, o Goiás não só conseguiu arrancar um empate por 1 a 1 com um Palmeiras praticamente completo, fora de casa, como teve chances para sair do Allianz Parque com a vitória.

Os índices do site SofaScore, especializado em estatísticas esportivas, mostram como o Esmeraldino equilibrou as ações diante do Verdão paulista, que, na prática, teve como desfalque apenas o zagueiro Felipe Melo, com uma lesão muscular. O Goiás teve menos posse de bola (34%), mas, finalizou em direção ao gol mais vezes que o Palmeiras (cinco, contra três). Apesar do rival ter a bola em 66% do tempo, o time comandado por Ney Franco foi pouco agredido.

“Foram dois tempos em que jogamos dentro da nossa proposta. No segundo tempo, o time fez um trabalho consistente, puxamos alguns contra-ataques. Tivemos uma estrutura defensiva muito boa. Jogamos muito bem, perfeitos taticamente. Além dos atletas sem condição, vínhamos de 100 dias sem um jogo oficial. Estamos pegando ritmo de jogo dentro do campeonato”, afirmou Franco, em entrevista coletiva, após a partida de sábado (15).

Entre os desfalques goianos – seja por contaminação pela covid-19, ou por ainda não terem recuperado a forma física – estavam jogadores importantes, como o goleiro Tadeu e o atacante Rafael Moura. O Goiás já tinha vivenciado problema semelhante na última quarta-feira (12), contra o Athletico-PR, quando perdeu por 2 a 1, em Curitiba. No domingo passado (9), o time teve o duelo com o São Paulo adiado, por ser informado sobre os casos da doença horas antes da bola rolar.

No Allianz, o Palmeiras foi melhor nos primeiros minutos e abriu o placar aos 14, com o zagueiro paraguaio Gustavo Gómez, de cabeça, após cobrança de escanteio do meia Gabriel Menino. O gol acordou o Goiás, que passou a dominar as ações, chegando ao empate aos 39 minutos, em cobrança de falta de Rafael Vaz. O defensor bateu rasteiro e enganou a barreira, que saltou no momento do chute, acertando o canto esquerdo do goleiro Weverton.

A satisfação esmeraldina com o resultado na capital paulista contrastou com a irritação do técnico palmeirense, Vanderlei Luxemburgo. Em entrevista coletiva depois da partida, ele disse que deseja postura diferente dos comandados para a sequência do Brasileirão.

“Ou competimos em alto nível ou não vamos caminhar. O cara tem que entrar ligado ao máximo. Hoje, você tem cinco substituições. Se morrer, você troca o jogador. Precisamos mudar a rotação da equipe para o Campeonato Brasileiro, para brigarmos por [vaga na] Libertadores e pelo título. Tem tempo para recuperar, mas, depende só de nós”, declarou Luxemburgo.

Os Verdões voltam a campo na quarta-feira (19), pela quarta rodada. O Palmeiras, que ainda não venceu equipes da Série A em 2020, joga às 19h30 (horário de Brasília) contra o Athletico-PR,em Curitiba. Já o Goiás recebe o Fortaleza às 20h30. Confira AQUI a classificação da Série A do Brasileirão.

Flamengo vence Coritiba e marca primeiros três pontos no Brasileirão

No confronto de duas equipes que só acumulavam derrotas no Campeonato Brasileiro, o Flamengo levou a melhor e conseguiu os primeiros três pontos na competição ao vencer o Coritiba por 1 a 0, no Couto Pereira. Com o resultado, o Rubro-Negro subiu momentaneamente para a 10ª posição, já o Coxa amarga a lanterna do Brasileirão.

O Coritiba começou melhor a partida e só não abriu o placar porque o César fez duas grandes intervenções. A primeira chance surgiu aos 4 minutos, em falta cobrada por Galdezani, obrigando o goleiro do Fla a se esticar todo para evitar o gol. Aos 12 minutos, Robson entrou cara a cara com César, tentou o drible, mas o goleiro conseguiu se recuperar a tempo.

Depois da pressão inicial dos donos da casa, o Flamengo cresceu de produção e, aos poucos, passou a controlar as ações. A principal arma do atual campeão brasileiro era o avanço pela esquerda, com as subidas de Filipe Luís e Bruno Henrique. Aos 23 minutos, Gabigol recebeu passe de Arrascaeta, chutou, e obrigou Wilson a fazer grande defesa. Dois minutos depois, o próprio uruguaio arriscou de fora da área. A bola desviou na zaga e explodiu no travessão. O Coritiba não suportou mais. Aos 27 minutos, Bruno Henrique subiu pela esquerda e tentou o passe para Gabigol. O camisa 9 não alcançou, mas Arrascaeta apareceu para finalizar e marcar o único gol da partida.

Ouça na Rádio Nacional

O Flamengo diminuiu um pouco o ritmo no fim do primeiro tempo, mas não sofreu com as tentativas do Coritiba. Na segunda etapa, o Rubro-Negro continuou melhor. Aos 11 minutos, Arrascaeta disputou com o zagueiro Rhodolfo, caiu e pediu pênalti. A arbitragem mandou seguir e o VAR não foi acionado. No lance seguinte, Renê Júnior recebeu o segundo cartão amarelo por falta dura e acabou expulso.

Com um jogador a mais, o Flamengo passou a ter diversas chances de ampliar o placar, mas pecava na finalização. O castigo quase veio aos 26 minutos, quando o Coxa acertou a trave de César. Depois do susto, o Rubro-Negro chegou a marcar o segundo gol, com Pedro, de cabeça, mas a jogada foi anulada por impedimento. Sem forças para tentar o empate, o Coritiba não ameaçou mais o gol de César e o Flamengo garantiu a primeira vitória no Brasileirão.

Na próxima rodada, o Flamengo enfrenta o Grêmio, quarta-feira (19), às 19h15min, no Maracanã. No mesmo dia, o Coritiba joga com o Corinthians, na Arena Corinthians, às 21h30min.

Diego Souza - Grêmio - 0x0 Corinthians
Diego Souza - Grêmio - 0x0 Corinthians

Diego Souza poderia ter aberto o placar para o Grêmio mas desperdiçou um pênalti – Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Grêmio e Corinthians fizeram o outro duelo da noite de sábado pela Série A do Campeonato Brasileiro em um jogo muito disputado e com polêmicas, mas que terminou empatado em 0 a 0. Jogando em casa, o Tricolor teve a chance da vitória nos pés de Diego Souza, que perdeu um pênalti aos 32 minutos do segundo tempo.

O Grêmio dominou primeira etapa e criou as melhores chances. O Corinthians reclamou de possível pênalti de Kannemann em Jô, aos 19 minutos. O árbitro Bruno Arleu de Araújo mandou o jogo seguir. Apesar de um segundo tempo mais equilibrado, o Timão escapou por pouco da derrota. Aos 27 minutos, Diego Souza foi derrubado por Michel dentro da área. Bruno Arleu de Araújo não marcou. O VAR entrou em ação e o árbitro revisou o lance. Após rever a jogada, o pênalti foi assinalado. A decisão revoltou o técnico Tiago Nunes, que foi expulso. Depois de quase cinco minutos desde a infração, Diego Souza foi para a cobrança e chutou para fora. O Grêmio ainda teve outra chance com Alisson, aos 43 minutos, mas Cássio defendeu e garantiu o empate.

Com o resultado, o Grêmio segue invicto no Brasileiro, com uma vitória e dois empates, somando 5 pontos na classificação. O Corinthians ainda não venceu na competição, mas marcou o primeiro ponto em duas partidas disputadas.  

Confira AQUI a classificação da Série A do Brasileirão. 

Treze é campeão paraibano após nove anos de jejum

Após nove anos de espera, o Treze Futebol Clube finalmente conquistou, neste sábado (15), o Campeonato Paraibano. Mesmo perdendo por 1 a 0 para o Campinense, no Estádio Amigão, em Campina Grande. Como havia vencido a partida de ida por 2 a 0, o Galo garantiu o 16º título estadual em sua história.

Apesar de ter a vantagem, o Treze começou o jogo partindo pra cima. O Galo acertou o travessão adversário logo aos 3 minutos do primeiro tempo, em finalização de Douglas Lima. O goleiro Wellington ainda desviou antes de a bola explodir na trave. Aos 10 minutos, Wellington teve que trabalhar novamente em chute de Vinícius Barba. No rebote, Frontini marcou o gol, mas o camisa 9 estava em posição irregular, e o juiz invalidou a jogada. O goleiro do Campinense apareceu novamente aos 17 minutos, quando salvou com os pés novo arremate de Frontini.

O Campinense só foi assustar aos 35 minutos. Alex Travassos cruzou e Calixto não chegou. A bola sobrou para Fábio Júnior que, na pequena área, chutou por cima do gol. A Raposa melhorou e teve outra chance, aos 39 minutos. Fábio Júnior recebeu passe de Bismarck, mas finalizou mal. Mesmo com a pressão do Campinense, foi o Treze que teve a melhor oportunidade do primeiro tempo. Aos 44 minutos, Léo Pereira cruzou na área para o chute de Tales. O goleiro Wellington Lima salvou com uma bela defesa. No rebote, a bola sobrou para Alexandre Santana, livre, concluir na rede pelo lado de fora.

O Treze voltou para o segundo tempo com o regulamento debaixo do braço. Recuado, o Galo deu espaços para o Campinense atacar. A Raposa marcou o gol da vitória aos 20 minutos. Rafael Ibiapino cruzou e Léo Pereira falhou. Juliano aproveitou a chance e, dentro da pequena área, chutou forte para abrir o placar.

O gol animou o Campinense que foi com tudo para o ataque. Apesar das chances criadas, a Raposa parou nas defesas milagrosas do goleiro Jeferson. No último lance do jogo, Reinaldo Alagoano, que entrou no segundo tempo, cabeceou tirando tinta do travessão. No fim, mesmo com a derrota, o Treze comemorou o título do Campeonato Paraibano.

Times:

Treze: Jeferson, Léo Pereira, Breno Calixto, Nilson Júnior e Gilmar; Robson, Vinícius Barba (Alisson Cassiano) e Alexandre Santana (Bruno Mota); Tales (Edson Carioca), Douglas Lima (Gustavo) e Frontini (Ermínio). Técnico: Moacir Júnior

Campinense: Wellington Lima, Alex Travassos (Matheus Silva), Alex Maranhão, Breno e Matheus Camargo. Elielton, Juliano, Caio Breno (Allefe)e Bismarck (Pedro Maycon). Rafael Ibiapino e Fábio Júnior (Reinaldo Alagoano). Técnico: Hélio Cabral.