Desemprego: Volkswagen anuncia programa de demissões em São Bernardo

A direção da Volkswagen anunciou que pretende reduzir cerca de 35% do quadro efetivo de trabalhadores da planta da empresa em São Bernardo dos Campo, o que significa a demissão de 3,6 mil trabalhadores.

Além disso, a Volks apresenta um pacote de maldades com redução de salários e Participação nos Lucros e Resultados (PLR), bem como vale-transporte, alimentação, plano médico entre outros direitos.

A empresa também propõe medidas, como a abertura do um novo Programa de Demissão Voluntária (PDV), redução de salário para os novos funcionários, corte no adicional noturno e nos benefícios e fim da estabilidade para acidentados.

Entre os futuros demitidos, 2,5 mil serão da área de produção e 1,1 mil do setor administrativo.

Estas propostas estão sendo discutidas entre a empresa e a direção do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

LEIA TAMBÉM:

Brasileiros acreditam que o desemprego vai piorar, diz Datafolha

Mourão convida Leonardo DiCaprio para “passeio” na Amazônia

Maia é contra tabelar os juros enquanto o mundo controla a ganância dos bancos

A nova proposta da empresa altera acordo fechado com o sindicato, que previa o congelamento dos salários até 2017. A intenção agora é estender a medida até 2019 e em 2020 e 2021 aplicar o repasse da inflação.

A ofensiva patronal, em meio à pandemia de Covid-19, é estimulada pelo ministro da Economia Paulo Guedes, que não tem uma proposta para a retomada da economia do país.

O Brasil já tem 40 milhões de desempregados e quase 6 milhões de desalentados, trabalhadores que desistiram de procurar o emprego.