Covid-19: Fiocruz assinará contrato para produzir vacina da AstraZeneca

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) firmará na próxima segunda-feira (31) acordo com a biofarmacêutica AstraZeneca para compra de lotes e transferência de tecnologia da vacina para Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford.

O acordo será resultado da cooperação entre o governo brasileiro e a biofarmacêutica, anunciado pelo Ministério da Saúde na semana passada.

Trata-se de uma encomenda tecnológica em que a instituição adquire o produto antes do término dos ensaios clínicos previstos, em função do movimento global de mobilização e para aquisição de vacinas, informa o site da instituição.

O acordo com a biofarmacêutica prevê duas etapas de produção. A primeira consiste na produção de 30,4 milhões de doses antes do término dos ensaios clínicos, o que representaria 15% do quantitativo necessário para a população brasileira, ao custo de 127 milhões de dólares. O investimento inclui não apenas os lotes de vacinas, mas também a transferência de tecnologia para que a produção possa ser completamente internalizada e nacional.

LEIA TAMBÉM:

Eleições 2020: Boulos e Erundina fazem assembleias populares virtuais para ouvir propostas para SP

Covid-19: Câmara dos Deputados aprova afastamento de gestantes do trabalho presencial

Covid-19: Brasil ultrapassa 116 mil mortes e registra 47.134 casos em 24 horas

“A produção dessa vacina é uma iniciativa do governo brasileiro, que, combinada a outras ações, poderá contribuir para o enfrentamento da pandemia de Covid-19. Como instituição estratégica do Estado brasileiro, a Fiocruz carrega 120 anos de experiência e atuação na saúde pública. Num momento como esse, de emergência sanitária, já temos uma infraestrutura robusta e com capacidade produtiva para incorporar novas tecnologias e introduzir novas vacinas rapidamente no Sistema Único de Saúde (SUS). Isso é resultado direto desse acúmulo e de todo o investimento que se fez na Fiocruz nos últimos anos, especialmente na atualização de seu parque tecnológico”, destaca a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima.

A vacina, caso demonstre eficácia, será oferecida pelo Programa Nacional de Vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS).

A vacina de Oxford é considerada a mais avançada nos testes e estudos feitos em todo o mundo. Atualmente, ela está na última fase de testes.

*Com informações do site da Fiocruz