Bolsonaro veta indenização para trabalhadores da Saúde incapacitados pela Covid-19

O presidente Bolsonaro vetou integralmente a Lei que previa indenização de R$ 50 mil para trabalhadores da Saúde incapacitados pela Covid-19. O veto foi publicado nesta terça-feira (4) no Diário Oficial da União.

A justificativa para o veto é que a Lei seria inconstitucional e contrário ao interesse público, porque prevê “benefício indenizatório para agentes públicos e criando despesa continuada em período de calamidade no qual tais medidas estão vedadas”.

Teriam direito à indenização os trabalhadores na Saúde que se infectaram com o Coronavírus e ficaram incapacitados para o trabalho.

Mas, para o presidente nada disso é importante e essas pessoas que colocaram suas vidas em risco não merecem nenhuma compensação.

Segundo o Conselho Federal de Enfermagem, o Brasil é o país com mais mortes de enfermeiros por Covid-19 no mundo.

Com informações do G1 e Cofen.

Ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, está com a Covid-19

O ministro-chefe da Casa Civil de Bolsonaro, general Walter Braga Netto, testou positivo para a Covid-19. A informação foi confirmada pela assessoria do ministro nesta segunda-feira (3).

Confira a nota do ministério:

“O ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Braga Netto, recebeu nesta segunda-feira (3/8) a confirmação de que testou positivo para a COVID-19. O ministro passa bem e está assintomático. Ele ficará em isolamento até novo teste e avaliação médica. Até lá, continuará cumprindo a sua agenda de forma remota.”

Braga Netto é o sétimo ministro do governo a contrair a doença  os outros foram:

  • Augusto Heleno (GSI);
  • Bento Albuquerque (Minas e Energia);
  • Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia);
  • Onyx Lorenzoni (Cidadania);
  • Milton Ribeiro (Educação); e
  • Wagner Rosário (CGU).

Além deles, a Primeira-dama Michelle Bolsonaro também testou positivo para a Covid-19 na última quinta-feira (30). Desejamos melhoras ao general civil e a todos os outros convalescentes.

‘Não existe bala de prata contra a Covid-19’, diz OMS

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Gebreyesus, disse nesta segunda-feira (3) que não existe uma “bala de prata” contra a Covid-19, apesar dos esforças de laboratórios e países para obter uma vacina.

“Atualmente, várias vacinas estão na fase três dos ensaios clínicos e todos esperamos ter várias vacinas eficazes que possam ajudar a impedir a infecção de pessoas. No entanto, não há uma bala de prata no momento e talvez nunca exista”, afirmou o diretor-geral da entidade em uma entrevista coletiva virtual.

LEIA TAMBÉM
PGR pede que o STJ mande Queiroz e esposa de volta à prisão

Conflito entre bolsonarismo e lavajatismo deve se agravar, afirma cientista político

Fake news: farra de Bolsonaro é paga com dinheiro público

Cerca de 18 milhões de pessoas já foram infectadas desde o início da pandemia do novo coronavírus. Em todo o mundo, foram registradas oficialmente mais de 689 mil mortes em decorrência da Covid-19.

Os países com maior número de óbitos são os Estados Unidos (155 mil), seguidos pelo Brasil (94 mil), México (47 mil), Reino Unido (46 mil) e Índia (40 mil).

Com informações de agências internacionais.