Trump quer dar golpe com adiamento da eleição nos EUA

Publicado em 30 julho, 2020

O presidente Donald Trump (R) quer fugir da eleição no dia 3 de novembro próximo como o diabo foge da cruz. O presidente americano está atrás nas pesquisas de intenção de voto. Ele perde do ex-vice-presidente Joe Biden (D) com até 15 pontos.

A proposta de adiar a eleição presidencial de novembro também não poderia ter ocorrido em um dia tão impróprio. Nesta quinta-feira (30), divulgou-se declínio de 32,9% no PIB (Produto Interno Bruto) –o pior da história dos Estados Unidos.

.

Essa contração da economia americana diz respeito ao segundo trimestre, mas mostra uma curva acentuada de queda em todos os demais índices.

De acordo com agências dos EUA, 1,43 milhões apresentaram novas reivindicações de seguro-desemprego para o governo na semana passada, sobretudo no estado da Califórnia.

Não é só a economia dos Estados Unidos que desceram o chão, se resignam os americanos, a economia alemã também encolheu 10,1% de abril a junho em relação ao trimestre anterior, o maior declínio desde que o governo começou a manter os dados em 1970.

.

Portanto, é nesse cenário político, econômico e social –depressão econômica, desemprego e pandemia de coronavírus–que Donald Trump quer utilizar para adiar sua derrota quase certa daqui a três meses.

LEIA TAMBÉM

PT protocola pedido de ‘CPI da Cloroquina’ na Câmara

Deputados do Partido dos Trabalhadores (PT) ingressaram com um pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara dos Deputados, que demanda a investigação de irregularidades envolvendo a produção de cloroquina pelo governo Bolsonaro.

.

Os parlamentares petistas questionam o governo e o Exército sobre a superprodução, os custos de fabricação e os critérios de distribuição dos medicamentos como forma de enfrentamento à covid-19.

Apesar de a Organização Mundial da Saúde (OMS) já ter orientado pela interrupção das pesquisas com os medicamentos, o presidente Jair Bolsonaro faz campanha aberta pelo uso das substâncias. O documento critica o presidente pela propaganda que faz da cloroquina e por defender a modificação de protocolos referentes ao uso do remédio. No requerimento, os deputados petistas destacam que já foram produzidos cerca de três milhões de comprimidos pelo Exército, mesmo sem comprovação científica de que o medicamento é eficaz no tratamento da infecção causada pelo novo coronavírus.

“Fato esse que preocupa diversas autoridades do país por parecer ultrapassar os limites da razoabilidade da gestão pública, ao despender significativos recursos em uma ação sem retorno comprovado”, escrevem os parlamentares.

.

“É necessário e urgente que a Câmara dos Deputados realize procedimento investigativo para elucidar ao país a existência de superprodução de comprimidos de cloroquina e hidroxicloroquina pelo Governo Federal e pelo Exército.”

O texto também destaca a falta de protagonismo do Ministério da Saúde no combate à crise sanitária.

O documento foi protocolado nesta quarta-feira (29), com a assinatura dos deputados: Alencar Santana (SP), Arlindo Chinaglia (SP), Jorge Solla (BA), Paulo Pimenta (RS), Rogério Correia (MG) e Rosa Neide (MT), todos do PT. Para que a CPI seja instalada, o requerimento precisa ter 171 assinaturas.

.

*Com informações da RBA