Ministro Wagner Rosário da Controladoria Geral da União está com a Covid-19

Publicado em 31 julho, 2020

O ministro Wagner Rosário, da Controladoria-Geral da União (CGU), anunciou nesta sexta-feira (31) que está com a Covid-19.

O anúncio foi feito em nota da Controladoria:

.

“O ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, testou positivo para a Covid-19 nesta quinta-feira (30). Ele ficará em isolamento até novo teste e alta médica. Até lá, manterá as atividades de forma remota”.

LEIA TAMBÉM: PSOL pede convocação de ministro da CGU após ameaça de censura a servidores públicos

Além dele, o ministro astronauta Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro foram diagnosticados com a doença nesta semana.

.

Ele é o sexto ministro a ser contaminado pelo Coronavírus. Antes dele, a doença já havia acometido os ministros:

  • Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional;
  • Bento Albuquerque, das Minas e Energia;
  • Onyx Lorenzoni, da Cidadania;
  • Milton Ribeiro, da Educação; e
  • Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia.

O presidente Bolsonaro também teve a doença, mas, assim como outros ministros, mas já está curado. Vai, Cloroquina!

Com agências.

Lula diz que Bolsonaro ‘inventou’ ter coronavírus para fazer propaganda da cloroquina

.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou na noite desta quinta-feira (30) suspeitar que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “inventou” ter coronavírus para fazer propaganda da cloroquina.

“Acho que Bolsonaro inventou que estava contaminado para poder fazer propaganda do remédio”, disse o ex-presidente em uma coletiva de imprensa virtual com correspondentes estrangeiros em São Paulo.

“Não sei se ele é sócio, mas se comporta como se fosse dono da fábrica que faz o remédio”, acrescentou.

.

Lula, de 74 anos, considera a gestão de Bolsonaro durante a pandemia como sendo “irresponsável”.

“Por isso estamos vivendo hoje uma situação gravíssima e não vejo uma saída a curto prazo”, afirmou.

LEIA TAMBÉM
Allan dos Santos, integrante do ‘gabinete do ódio’, diz que saiu do país

.

Fake News: Moraes pede informações da Secom, BNDES, BB e Caixa sobre investimento em redes sociais

Bolsonaristas comemoram a ‘eleição’ de Weintraub para o Banco Mundial

Bolsonaro, de 65 anos, anunciou em 7 de julho ter sido diagnosticado com a COVID-19, e desde então cumpria sua agenda a partir da residência oficial em Brasília, até que no dia 25 afirmou ter testado negativo para a doença.

.

Durante esse período, ele fez várias aparições públicas nas quais mostrou uma caixa de hidroxicloroquina, um medicamento cuja eficácia contra o coronavírus não é cientificamente comprovada.

Nesta quinta-feira, a Presidência anunciou que a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, também testou positivo para o novo coronavírus.

Desde o início da pandemia, que já deixou mais de 90 mil mortos no Brasil, Bolsonaro critica as medidas de confinamento propostas pelos governadores, justificando sobre o ponto de vista do impacto econômico, e até descreveu a doença como uma “gripezinha”.

.

Lula, confinado desde março em seu apartamento em São Bernardo do Campo, também questionou o relacionamento de Bolsonaro com o mandatário americano Donald Trump.

“Bolsonaro se comporta, o Ministro das Relações Exteriores [Ernesto Araújo] se comporta como um lambe-botas (…)”, afirmou o líder do PT.

A possibilidade de Trump ser derrotado pelo democrata Joe Biden nas eleições de novembro poderia dar outra perspectiva a alguns aspectos do relacionamento entre as duas maiores economias das Américas, segundo Lula.

.

“Um novo governo pode mudar o comportamento com o Brasil, para exigir que se respeite a democracia, os Direitos Humanos, [e que se adote] uma política para evitar o desmatamento na Amazônia”, afirmou.

Lula, que deixou o governo em 2010 com altos índices de popularidade, aguarda o resultado de um recurso contra uma sentença de quase 9 anos de prisão por corrupção, cumprida por ele parcialmente entre abril de 2018 e novembro de 2019.

Assista ao vídeo:

.


Por AFP