Marco Aurélio sobre “carteirada” de desembargador paulista: “A autoridade na rua é o guarda”

Em entrevista à coluna do jornalista Josias de Souza, no UOL, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, criticou a “carteirada” que o desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), tentou aplicar no guarda municipal da cidade de Santos, Cícero Hilário Neto.

“A autoridade na rua é o guarda, não o desembargador”, disse Marco Aurélio ao defender a punição do magistrado.

“Somos autoridades no tribunal, com a capa nas costas. Na rua, somos cidadãos”, completou o ministro.

LEIA TAMBÉM:
PSOL recorre de decisão judicial que extinguiu processo contra nomeação de Weintraub para o Banco Mundial

20 governadores assinam carta em defesa do novo Fundeb

Lava Jato faz operação contra Serra por suposto caixa 2 nas eleições de 2014

Marco Aurélio disse ter conversado com “um colega desembargador” que conhece Siqueira.

“Ele é tido como um sujeito complicado. O Órgão Especial já esteve para afastá-lo. Mas acabou não tomando a iniciativa. Talvez tenha claudicado. O passado desse rapaz não o recomenda. Se é que podemos considerá-lo rapaz… Pela falta de juízo, talvez”, afirmou o ministro do Supremo.

No último sábado (18), Siqueira rasgou e jogou no chão uma multa aplicada pelo guarda municipal por caminhar na faixa de areia da praia de Santos sem máscara e ainda se referiu ao oficial como “analfabeto”. O desembargador também tentou dar uma “carteirada” ao ligar para o secretário municipal de Segurança Pública, Sérgio Del Bel. O caso ganhou repercussão nacional devido a um vídeo viralizado na internet.