Ernesto araújo

Itamaraty tira do ar apostila de teor racista e com ataques ao ex-presidente Lula

O Itamaraty tirou do ar uma apostila sobre língua portuguesa com conteúdo racista e ideológico que era oferecida em 44 países onde o Brasil mantém embaixadas. O material é um panfleto grostesco contendo frases e chavões bolsonaristas, evidenciando o aparelhamento do Ministério das Relações Exteriores (MRE) pela facção exremista ligada ao jornalista Olavo de Carvalho.

O documento continha também ataques ao ex-presidente Lula e ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e frases machistas contra o aborto e cabelos crespos, por exemplo.

A cartilha estava disponível no site do MRE até a noite da terça-feira (14), mas foi retirada do ar após ser alvo de críticas no Twitter.

LEIA TAMBÉM:

Sérgio Moro teme a visita do “Japonês da Federal” durante o inverno de Curitiba

Bolsonaro reafirma Pazuello no comando do ministério ‘quartel’ da Covid-19

Bolsonaro se opõe a Gilmar Mendes

A apostila, elaborada pela professora Airamaia Chapina, que tem uma escola de idiomas em São Paulo, trazia um enunciado que apontava o ex-presidente Lula como corrupto. “Se eu soubesse que o Lula seria tão corrupto e se envolveria com o mensalão, eu não teria votado nele”, diz o texto.

Além incentivar o alisamento de cabelo, a cartilha do MRE também pedia ao aluno completar frases como: “O exército iraquiano enfraqueceu depois do ataque americano”; “A Argentina empobreceu na última década”; “Se as mulheres não abortassem, não haveria tantas clínicas de aborto clandestinas”; “Se o MST se apropriar de nossas terras, nunca mais conseguiremos reavê-las”.

Os cursos de português para estrangeiros são oferecidos através da Rede Brasil Cultural, um instrumento do MRE para a promoção da língua portuguesa e da cultura brasileira no exterior.